Menu Principal

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Série Imaginando #1 - Viajando pelo Sistema Solar - Parte 01


~ Que tal sonhar um pouco e realizar uma viagem imaginária para onde ainda não podemos alcançar? ~

[PARTE 01] [PARTE 02] - [PARTE 03]

Sistema Solar
Acredito que um dos maiores sonhos da humanidade é conquistarmos o espaço. isto é, conhecer o que está além do Sistema Solar, da nossa Via Láctea, e pouco a pouco, descobrir coisas ainda inimagináveis para nós neste vasto universo. Já sabemos que o homem agora é capaz de pisar na Lua, pode enviar sondas até Marte e Plutão [último planeta do Sistema Solar, que recentemente foi rebaixado para Planeta Anão], mas também sabemos que infelizmente ainda somos incapazes de realizar viagens turísticas mesmo para distâncias cósmicas mais próximas, como por exemplo a Lua, Marte, ou para os magníficos Anéis de Saturno.

Então, essa a ideia desse Post: Viajar através de um pequeno relato e fotos de boa qualidade que fui encontrando pela internet para que assim possamos conhecer mais um pouquinho do que ainda não podemos alcançar, neste caso, os planetas, satélites e outras curiosidades interessantes do Sistema Solar.


Viajando pelo Sistema Solar

Começaremos essa viagem partindo do nosso imenso Sol, e em seguida passaremos por Mercúrio, Vênus, nosso Planeta Natal (Terra) e seu vizinho, Marte [Essa será a Parte 1 desse relato]. Dali teremos de atravessar o Cinturão de Asteroides e chegaremos a Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar [Aqui teremos a Parte 2 do Relato], e continuando nossa viagem ainda passaremos por Saturno, onde conheceremos seus magníficos anéis, Urano, Netuno, até chegarmos em Plutão, o último Planeta do Sistema Solar [Parte 3 do Relato].


[Clique na imagem acima se desejar ver ela em tamanho bem grande]

Agora que estamos bem acomodados em nossa nave espacial, chegou a hora de conhecer nossa Estrela mais de perto, o Sol, que será o ponto de partida da nossa viagem.

Nossa Nave
- Sol -


Distância do Terra: 149.597.871 km.

O Sol, nossa fonte de luz e vida é a estrela mais próxima de nós e também a que melhor conhecemos. É basicamente uma enorme esfera de gás incandescente, em cujo núcleo acontece a geração de energia através de reações termo-nucleares.

É considerado uma estrela anã, bastante comum no universo. Em torno dela gravitam oito planetas, três planetas anões, 1600 asteroides, 138 satélites e um grande número de cometas. Sua massa é 333.000 vezes a da Terra e o seu voume é de 1,41x1027m³ (em outras palavras, 1.400.00 vezes a da Terra). Está a cerca de 149.597.871 km de distância da Terra (ou 1 U.A - Unidade Astronômica). Sua gravidade relativa na superfície é de 28G. A luz emitida pelo Sol demora cerca de 8 minutos para chegar à Terra. Presume-se que o sol tenha ao menos 5 bilhões de anos de idade.

Para conhecermos um pouco mais sobre o Sol, assista ao vídeo abaixo:


Do ponto de vista da composição, o Sol contém Hélio, Hidrogênio, Ferro, Oxigênio, Silício, Carbono, Nitrogênio, Enxofre e outros elementos químicos. As temperaturas do Sol variam, mas é fato que atingem em édia até 5.505ºC na região superficial. Já no próprio núcleo, chega a apresentar 16.000.000ºC.

Na verdade as estrelas não possuem superfícies, pois são corpos gasosos, a camada que vemos no sol através de fotografias, é na verdade é uma camada bastante fina conhecida como fotosfera, são os átomos dessa camada que irradiam a radiação solar que recebemos, existem camadas acima da fotosfera, mas elas são muito rarefeitas, por isso são quase imperceptíveis. Mas mesmo assim aqui a chamaremos de superfície devido a semelhança com uma superfície tradicional.

Ainda observando a superfície do Sol, podemos verificar dois fenômenos interessantes: As Manchas Solares e as Erupções Solares.

Manchas Solares
Erupção Solar
As Manchas Solares são regiões na fotosfera ("superfície" do Sol) que vemos com uma aparência escura: manchas escuras avermelhadas na fotosfera. São assim porque a temperatura delas é menor que a temperatura restante da fotosfera, girando em torno de 4.000ºC (enquanto no restante da superfície chega a até 5.505ºC).

Se quiser se aprofundar seu conhecimento sobre as manchar solares, clique no botão abaixo:

Já as erupções solares são explosões na superfície do Sol causadas por mudanças repentinas no seu campo magnético. A atividade na superfície solar pode causar altos níveis de radiação no espaço sideral. Esta radiação pode vir como partículas (plasma) ou radiação eletromagnética (luz). O Sol libera porções de energia eletromagnética quando uma gigantesca quantidade de energia armazenada em campos magnéticos, acima das manchas solares, explode, produzindo um forte pulso de radiação que abrange espectro eletromagnético, desde as ondas de rádio até os raios X e raios gama.

Os gases emergem da superfície e são lançados na coroa solar, onde atingem temperaturas de mais de 1,5 milhão de graus centígrados, formando arcos chamados anéis coronais, enormes bolhas de gases ionizados com até 10 bilhões de toneladas. Depois, esfriam e voltam a se chocar com o Sol a uma velocidade próxima a 100 quilômetros por segundo.

As ejeções de massa coronal, que são partículas de altas energias, lançadas no espaço interplanetário podem transportar 10 bilhões de toneladas de gás eletrizado e superam a velocidades de um milhão de quilômetros por hora. Quando atingem a Terra, a magnetosfera do planeta desvia a maior parte da radiação, mas uma parte pode chegar à atmosfera superior, causando as tempestades geomagnéticas.

As erupções solares são classificadas de acordo com o seu brilho em raios X no intervalo de comprimento de onda que vai de 1 a 8 Ångstroms.

Veja abaixo, um exemplo de erupção solar:


Agora que conhecemos bastante sobre o Sol e pudemos observar belas imagens, chegou a hora de viajar mais um pouco e chegar em nosso primeiro planeta, Mercúrio:

- Mercúrio -


Distância do Sol: 57,8 milhões de km.

É o planeta mais próximo do Sol e está localizado entre o Sol e o Planeta Vênus. Tem esse nome em homenagem ao deus da mitologia romana Mercúrio (mensageiro do deus Júpiter). A primeira observação deste planeta, através do telescópio, foi realizada em 1610 pelo astrônomo italiano Galileu Galilei.

Demora 87,969 dias terrestres para completar uma volta em torno do Sol. A órbita de Mercúrio tem a maior excentricidade e a menor inclinação axial de todo o sistema solar, completando três rotações sobre seu eixo a cada duas órbitas. A sua aparência é brilhante quando observado da Terra. Uma vez que Mercúrio normalmente se perde no intenso brilho solar, exceto em eclipses solares, só pode ser observado a olho nu durante a manhã ou crepúsculo vespertino.


Mercúrio tem uma aparência similar à lunar com crateras de impacto e planícies lisas, sem satélites naturais e sem atmosfera substancial. Entretanto ao contrário da Lua, possui uma grande quantidade de ferro no núcleo que gera um campo magnético de quase 1%, tão forte quanto o terrestre. É um planeta excepcionalmente denso devido ao tamanho relativo de seu núcleo. A sua temperatura na superfície varia de -173 °C a 427 °C.

Conheça mais sobre esse planeta através do vídeo abaixo:


Curiosidades sobre Mercúrio:

- É o Planeta mais próximo do Sol e é o menor planeta do Sistema Solar, entretanto é apenas o 2º mais quente, perdendo para Vênus em termos de calor;
- Durante o dia, as temperaturas alcançam 427ºC, enquanto à noite essa temperatura chega à -173ºC: Isso acontece porque não existe atmosfera para regular as temperaturas;
- Os núcleos dos planetas pequenos normalmente são sólidos, mas o de Mercúrio é líquido devido ao Enxofre;
- Mercúrio pode ser visto a olho nu da Terra, em determinadas condições (explicadas no vídeo acima);
- Mercúrio é cada vez menos volumoso: Nos últimos 4 Bilhões de Anos seu raio encolheu uns 7km;
- Mercúrio demora 59 dias terrestres para realizar uma única rotação em torno de seu eixo, e faz uma translação completa ao redor do Sol em apenas 88 dias terrestres, o que significa que demora apenas 2 dias mercurianos para completar 1 ano do planeta;
- É o planeta com mais crateras do Sistema Solar devido a colisões com cometas e asteroides;
- A maior cratera se chama Calóris e possui diâmetro de 1.550km;
- Se estivéssemos em Mercúrio, veríamos o Sol 3 vezes maior do que estando da Terra;
- Em Mercúrio há dois amanheceres: O Sol sai e se esconde e retorna quase por onde saiu;

Abaixo está o vídeo original em que estão as curiosidades citadas acima, entretanto está em espanhol, mesmo assim assista porque é muito interessante.


Dali seguimos para o próximo planeta...


- Vênus -


Distância do Sol: 108,2 milhões de km.

Vênus é o segundo planeta a contar do Sol e o sexto maior. Sua órbita é a mais circular, com uma excentricidade de menos de 1%. Na Grécia Antiga Vênus era conhecida como a deusa do amor e da beleza. O planeta possui esse nome provavelmente por ser o mais brilhante dos planetas conhecidos na antiguidade e já era conhecido desde tempos pré-históricos.

É o objeto natural mais brilhante do céu, além do Sol e da Lua. Tal como Mercúrio, pensava-se que eram dois corpos celestes diferentes: Eosphorus como estrela da manhã e Hesperus como estrela da tarde, mas os astrônomos gregos conheciam este fato (a aparição de Vênus como estrela da manhã é por vezes chamada de Lúcifer).

A primeira sonda a visitar Vénus foi a Mariner 2 em 1962. Foi subsequentemente visitada por muitas outras (mais de 20 até agora), incluindo as famosas Pioneer Venus, a soviética Venera 7, a primeira sonda a aterrar em outro planeta e a Venera 9, que enviou as primeiras fotografias da superfície de Vénus. Mais recentemente, a sonda americana Magalhães produziu mapas detalhados da superfície de Vénus utilizando radar e atualmente a sonda Venus Express encontra-se orbitando o planeta.




A rotação de Vénus é um pouco invulgar, pois é extremamente lenta (243 dias terrestres por cada dia em Vênus, um pouco maior que um ano venusiano) e retrógrada. Em adição, os períodos da rotação de Vénus e da sua órbita são sincronizadas, dado que apresenta sempre a mesma face em direção à Terra quando os dois planetas estão na sua maior aproximação. Não se sabe se este efeito de ressonância é apenas coincidência ou não.

A descoberta de Galileu de que Vênus apresenta fases provou que o planeta orbita o Sol e não a Terra.

Agora vamos conhecer um pouco mais do Planeta Vênus e também o porquê dele ser tão inóspito.


Para fecharmos Vênus com chave de ouro, já imaginou como é a Topografia de lá?


Antes de conhecer Marte, vamos voltar ao nosso planeta natal, a Terra e vislumbrá-la daqui do espaço.
- Terra -


Distância do Sol: 149.600.000 km.


A Terra é o terceiro planeta a contar do Sol e o quinto maior do Sistema. Sua forma é praticamente esférica, com uma deformação que causa um achatamento dos polos. Até onde se sabe o planeta em que vivemos é o único do nosso sistema solar em condições de abrigar vida da forma como a conhecemos. Isso acontece porque o planeta possui algumas condições únicas, como 71% de sua superfície coberta por água, placas tectônicas e um forte campo magnético.


O Planeta demora 24 horas para girar em torno de si (1 dia). Na metade que fica virada para o Sol é dia, a outra, a noite. A rotação da Terra também é a razão pela qual o Sol aparece no leste e se põe no Oeste, Embora pareça que o Sol está se movendo a partir da superfície da Terra, é realmente a superfície da Terra que está em movimento. A razão pela qual nós não sentimos que estamos girando é porque a Terra é extremamente gigantesca em comparação ao tamanho das pessoas.

Além disso, a Terra está inclinada em cerca de 23 °, por isso existem momentos em que o polo Norte ou Sul está sempre aproximando ou se afastando do sol. Se você estiver em um dos polos perceberá que pode ser claro ou escuro durante todo o dia. O ano da Terra dura cerca de 365 dias e 1/4 de dia de duração. Esse é o tempo que a Terra leva para orbitar o Sol uma vez. Aproximadamente a cada quatro anos temos um ano bissexto. Um ano bissexto contém um dia a mais em nosso calendário, em 29 de fevereiro, a fim de explicar a 1/4 de um dia de sobra a cada ano.


A sucessão das estações do ano é resultado da inclinação do eixo de rotação da Terra por 66,6º relativo ao seu plano de translação (23,4º em relação à normal ao plano). O eixo de rotação da Terra é a linha imaginaria que une o pólo Norte ao pólo Sul e sua inclinação faz com que, em certas épocas do ano, um hemisfério receba a luz do Sol mais diretamente que o outro hemisfério. Isto é a principal causa das estações do ano: primavera, verão, outono e inverno. Comparados às regiões tropicais, os pólos, por exemplo, recebem os raios solares bastante inclinados e por isso absorvem apenas uma fração da luz do Sol; o que reflete-se em temperaturas mais baixas nas extremidades polares.

Existe uma distribuição desigual de luz e calor solar nas diversas partes da Terra. Por causa disso diferentes partes recebem diferentes quantidades de luz e calor solar ao longo do ano. Assim, no verão, teremos mais luz e calor e, no inverno, menos luz e calor.


ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS:

Hemisfério Norte

Primavera: 1 março até 31 maio;
Verão: 1 junho até 31 agosto;
Outono: 1 setembro até 30 novembro;
Inverno: 1 dezembro até 28 fevereiro.

Hemisfério Sul

Primavera: 1 setembro até 30 novembro;
Verão: 1 dezembro até 28 fevereiro;
Outono: 1 março até 31 maio;
Inverno: 1 junho até 31 agosto.

Curiosidades sobre a Terra:
  • A Terra é o quinto maior planeta do Sistema Solar e o único a ter uma camada de gases na atmosfera que garante condições para a existência de vida por aqui.
  • Cerca de 70% da superfície do planeta é coberta por água emestado líquido, elemento essencial para a existência de formas de vida.
  • Se a Terra não girasse, não existiria vida, ao menos do modo como a conhecemos! Caso ela não girasse o lado que ficasse voltado para o Sol viraria um deserto muito quente e o outro lado ficaria muito escuro e gelado.
  • A Terra não é exatamente redonda. A rotação e a gravidade causaram um leve achatamento, deixando-a com formato de geoide.
  • Em sua viagem ao redor do Sol, o planeta recebe grandes quantidades de lixo estelar, desde pequenos asteroides até pó cósmico. Ao todo, a cada dia caem em nosso planeta de 20 a 40 toneladas desse material. 
  • A montanha mais alta do planeta é o Monte Everest, na Cordilheira do Himalaia, com 8.850 metros. Se consideradas as partes submersas, o vencedor seria o vulcão Mauna Kea, no Havaí, que tem 10.314 metros no total. 
  • Os cientistas calculam que a Terra tem cerca de 4,5 bilhões de anos. 
  • O buraco na camada de ozônio está ficando cada vez menor, e em 2012 registrou o segundo menor buraco nos últimos 20 anos.
  • O lugar mais profundo dos oceanos tem mais de 11 quilômetros de profundidade e uma depressão com 2.550 km de extensão, e está localizado na Fossa das Marianas no Oceano Pacífico.
  • Estima-se existir mais de 1 milhão de espécies vivas nos oceanos e apenas um terço foi descoberto até o presente.
  • Nosso planeta está rodeado por cerca de 38 mil pedaços de lixo espacial, que incluem desde pequenos objetos até satélites desativados.
  • A ISS (Estação Espacial Internacional) é o objeto mais caro já criado com um custo estimado em 150 bilhões de dólares.
  • Em toda história do Planeta Terra se registrou cerca de 106 bilhões de pessoas, atualmente cerca de 7 bilhões deste total estão vivas. Em 2050 estima-se que chegaremos a marca de 10 bilhões de seres humanos.
  • A Terra é bombardeada diariamente com aproximadamente 100 toneladas de meteoros, a maioria deles são destruídos quando entram em contato com a atmosfera.
  • Cerca de 99% de todo ouro que existe na Terra está localizado no seu núcleo. Esta quantidade é suficiente para formar uma crosta de 50 centímetros ao redor do planeta.
  • O ser vivo mais antigo descoberto pela ciência tem cerca de 3,6 bilhões de anos. Trata-se de uma bactéria fossilizada encontrada na Austrália.
  • Cerca de 75% de todos os animais vivos em nosso Planeta podem se extinguir em 300 anos caso não sejam tomadas novas medidas de conscientização.

Repare no Tamanho da Terra em comparação aos outros planetas do Sistema Solar:

Comparação - Os menores planetas do Sistema Solar em relação à Terra
Comparação dos tamanhos dos Planetas do Sistema Solar.
Para fechar nosso Planeta Natal com chave de ouro, assista ao vídeo abaixo.


Na imagem abaixo, claro, está a disposição atual dos continentes após milhões de anos em transformação:


Já que aprendemos bastante sobre a Terra, agora vamos nos focar em seu Satélite, a Lua.

[Obs.: Não vamos nos voltar para o interior do nosso Planeta porque nesse blog a gente já vê bastante sobre isso]

- Lua -


Distância da Terra: Cerca de 384.400 km.

A Lua é o único Satélite Natural da Terra e é o objeto celeste mais próximo de nós. Era chamada de Luna pelos romanos, Selena e Artemis pelos gregos e de muitos outros nomes nas mais variadas mitologias. Está a cerca de 384.400 km da Terra, ainda que sua distância possa variar entre 363.104 km (ponto mais próximo) e 405.696 km (ponto mais distante).

O diâmetro equatorial da Lua é de 3.475 km. Ela não é o maior satélite do Sistema Solar [esse título pertence a Ganimedes, um dos satélites de Júpiter, com 5.262 km de diâmetro], mas se levarmos em conta o diâmetro do planeta Terra no equador, que é de 12.756 km, então vemos que o diâmetro da Lua é cerca de 1/4 do diâmetro do nosso planeta. Isto faz da Lua o maior satélite do Sistema Solar em termos de proporção relativamente ao seu planeta.


A Lua possui uma atmosfera tão tênue e fina que podemos considerá-la desprezível. A Lua tem grande quantidade de crateras visíveis devido a falta de erosão significativa por não conter água líquida e atmosfera que forme ventos em sua superfície. Atualmente, as sondas enviadas à órbita lunar mostram indícios de que há gelo de água nas crateras.


O período de rotação da Lua é igual ao seu período de translação sideral, ou seja, 27,3 dias terrestres. O fato de que o período de rotação da Lua em torno de si e o período de rotação em torno da Terra estão sincronizados faz com que a Lua fique sempre voltada com a mesma face para nós.


Outro fato interessante são as marés oceânicas, que explicando da maneira mais simples possível, seriam causadas pelas forças gravitacionais entre a Terra e a Lua (também há influência do Sol, mas não será explicada aqui). Os oceanos estão mais sujeitos a deformações do que a superfície sólida da Terra, e esticam-se ao longo da linha direta para a Lua. E porque a Terra gira muito mais rapidamente que a Lua na sua órbita, as protuberâncias movem-se pela Terra uma vez por dia, dando duas marés diárias.

Este fenômeno natural pode ser aproveitado para a geração de energia elétrica. É a chamada Energia Maremotriz. Os geradores funcionam quando a maré sobe, fazendo com que encha um reservatório. Quando a maré desce, existe agora uma diferença, que a partir da energia potencial faz com que a água passe por uma turbina, gerando assim energia elétrica. Para reforçar um pouco mais sobre nosso aprendizado sobre a Lua, assista ao vídeo abaixo:


Agora que matamos a saudade do nosso Planeta Natal, chegou a vez de conhecer nosso outro vizinho, o "Planeta Vermelho".

- Marte -


Distância da Terra: 227,9 milhões de km.

Marte é o quarto planeta a partir do Sol e é o segundo menor do Sistema Solar. Foi batizado em homenagem ao deus romano da Guerra, Marte, e também muitas vezes é descrito como o "Planeta Vermelho", porque o óxido de ferro predominante em sua superfície lhe dá uma aparência avermelhada. Talvez seja o planeta que mais tenha despertado a curiosidade do público geral e dos astrônomos, a avaliar pelas tantas missões espaciais que lhe são dirigidas. A distância de Marte em relação ao Sol varia de 249,2 milhões de km no ponto mais distante e 206,6 milhões de km, no ponto mais próximo. Marte orbita o Sol com uma velocidade média de 24,08 km/s.

Monte Olimpo, a maior montanha e vulcão do Sistema Solar, com 27 km de altura.
Panorama da cratera Gusev, onde o Spirit analisou basaltos vulcânicos.
Valles Marineris, em Marte.
É um planeta rochoso com uma atmosfera fina, com uma superfície que lembram tanto as crateras de impacto da Lua quanto vulcões, vales, desertos e calotas polares da Terra. O período de rotação e os ciclos sazonais de Marte são também semelhantes aos da Terra, assim como é a inclinação que produz as suas estações do ano. Marte é o lar do Monte Olimpo, a segunda montanha mais alta conhecida no Sistema Solar (a mais alta em um planeta), e do Valles Marineris, um desfiladeiro gigantesco. Marte tem duas luas conhecidas, Fobos e Deimos, que são pequenas e de forma irregular, podendo ser asteroides capturados.

Sua atmosfera é formada de elementos tais como: gás carbônico, nitrogênio, argônio e oxigênio. As durações das estações marcianas são cerca de duas vezes as da Terra, já que Marte está a uma maior distância do Sol, o que leva o ano marciano a ser equivalente a cerca de dois anos terrestres em duração. As temperaturas da superfície de Marte variam de -143°C (no inverno nas calotas polares) para máximos de até 35°C (no verão equatorial). A ampla variedade de temperaturas é devido a fina atmosfera que não consegue armazenar muito calor solar, a baixa pressão atmosférica e a baixa inércia térmica do solo marciano. Os dias marcianos duram 24h36min e o ano tem duração de 687 dias terranos.


Para não ficarmos apenas no falatório e no blá-blá-blá, coloquei um vídeo bem interessante sobre algumas curiosidades de Marte. Apesar de estar em espanhol a linguagem é bem fácil e simples de entender.


O interior de Marte é conhecido apenas por dedução a partir de dados acerca da superfície e pelas estatísticas do planeta. O cenário mais provável é ter um núcleo denso com cerca de 1700 km de raio, um manto rochoso derretido um pouco mais denso que o da Terra e uma crosta fina. Dados da Mars Global Surveyor indicam que a crosta de Marte tem cerca de 80 km de espessura no hemisfério sul ,mas apenas 35 km no norte. A baixa densidade de Marte quando comparada com os outros planetas terrestres indica que o seu núcleo provavelmente contém uma relativamente grande fracção de enxofre, além de ferro (ferro e sulfureto de ferro).


Tal como Mercúrio e a Lua, Marte parece não ter placas tectônicas ativas no presente; não existem provas de movimento horizontal recente na superfície, tal como as montanhas dobradas tão comuns na Terra. Com nenhum movimento de placas horizontal, os "pontos quentes" debaixo da crosta ficam numa posição fixa relativamente à superfície. Isto, em conjunto com a baixa gravidade à superfície, pode explicar a existência da proeminência de Tharsis e os seus enormes vulcões. No entanto, não existem evidências de atividade vulcânica presente. Mas existem novos dados da Mars Global Surveyor que indicam que Marte possa ter tido atividade tectônica no seu passado recente, o que faz com que as comparações com a Terra sejam mais interessantes!

Existe um claro indício de erosão em muitos lugares de Marte, incluindo grandes inundações e pequenos sistemas de rios. A uma dada altura no passado, houve claramente uma espécie de fluido na superfície. Entretanto, parece que isso aconteceu brevemente e há muito tempo atrás. A idade dos canais de erosão é estimada em cerca de 4 bilhões de anos (Valles Marineris não foi criada a partir de água corrente. Foi formado a partir de esticões e falhas da crosta associadas com a criação da proeminência de Tharsis).

Os cientistas encontraram evidencias que apontam que Marte já teve um antigo oceano.
Acredita-se que as manchas escuras observadas na superfície de Marte possam estar ligadas à existência de água corrente durante o verão do planeta. "Essas manchas se formam no fim da primavera, aumentam no verão e somem no outono. Por 40 anos, não pudemos explicar por que elas existiam, afirma um cientista". "Marte sofreu uma enorme mudança climática e perdeu sua água. Mas há muito mais umidade no ar do que jamais havíamos imaginado."

Dados do satélite Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) mostram que as linhas escuras, que aparecem em declives marcianos, estão associadas a depósitos de sal, que podem alterar os pontos de congelamento e evaporação da água, fazendo com que ela fique líquida por tempo suficiente para se mover. Sem isso, a água congelaria nas baixas temperaturas do planeta.

Até esse momento, pelos planetas em que passamos, a exceção da Terra ainda não tínhamos citado sobre colonização e exploração, se você chegou a pensar nisso, saiba que Marte é um excelente candidato para ser o próximo planeta habitado pelo homem, por isso, estarei colocando abaixo mais dois vídeos interessantes [um curto, para quem deseja apenas ter uma pequena noção de como o homem poderia estar colonizando esse planeta e uma matéria bem completa, composta de um vídeo que dura cerca de meia hora].

Vídeo Curto:


Matéria Completa:

Abaixo deixei o vídeo do Matéria de Capa contando como os cientistas pretendem colonizar o Planeta Vermelho.


Veja como é o mapa de Marte:


E agora mais algumas curiosidades sobre esse planeta.


- Em Marte, o pôr-do-Sol é cor-de-rosa. A cor é principalmente devida à ferrugem: o ferro oxidado do pó marciano circula pela atmosfera marciana. Imagem registada pela Pathfinder.

- Marte é sem dúvidas o Planeta que mais recebeu visitantes robóticos enviados da Terra.


- A grande cratera Schiaparelli perto do centro da imagem da esquerda foi provavelmente provocada por uma colisão com um objeto do tamanho de um asteroide. Também evidente neste mosaico de Marte as numerosas crateras de muitos outros impactos com objetos mais pequenos ao longo de bilhões de anos. No canto inferior direito, dióxido de carbono branco pode ser visto na bacia Hellas. O gelo forma-se devido às temperaturas, que podem descer até aos -140º C em Marte. Algumas regiões marcianas, no entanto, podem chegar aos 20º C - a temperatura ambiente de uma sala aqui na Terra. Crédito: NASA, Viking, USGS

- As tempestades de areia em Marte podem durar meses. Na imagem abaixo temos duas fotos de Marte registadas pelo Hubble em que mostra um Marte calmo à esquerda e o resultado de uma poderosa tempestade dois meses depois. Note a ausência de quase todas as caracterísitcas da superfície.



- Por todo o lado há rochas, no chão da cratera Gusev, local de aterragem do rover Spirit. Depois de revelar detalhes espectacules e sem precedentes de uma planície que se pensa que tenha sido um leito de um rio, esta imagem representa apenas uma pequena fracção dos dados que os cientistas recebem. O local de aterragem foi renomeado Columbia em honra dos astronautas que perderam a sua vida no acidente do vaivém Columbia.

- Em 1877, o astrônomo Giovanni Schiaparelli, observou e desenhou um mapa de Marte onde constavam uma complicada rede de linhas retas que cruzavam a superfície de Marte. Essas estranhas linhas já tinham sido observadas por alguns astrónomos, mas foi este astrônomo italiano quem mostrou um desenho de Marte feito pelo próprio. Schiaparelli chamou a essas linhas de "canalis", que significa "leitos de rio" ou "sulcos", mas foi traduzido para o inglês com o termo "canals" que significa canais feitos de forma artificial. Especulava-se sobre a possibilidade de esses canais serem a prova da existência de vida inteligente em Marte. Essa teoria apaixonou as pessoas, fez gerar muitos debates e especulações, invadiu os cinemas e fez com que muitos tivessem esperança desse planeta habitado por marcianos, mas hoje se sabe que essa teoria não está correta.

Veja o vídeo abaixo para avistar os canais marcianos:


Luas de Marte:

Fobos
Deimos
Fobos é uma das duas luas de Marte. É a maior e a mais próxima lua de Marte. Com um raio médio de 11,1 km, Fobos é 7,4 vezes mais massivo que que a outra lua marciana Deimos. Seu nome vem da Grécia antiga e significa medo. Na mitologia grega, Fobos era filho de Ares (Marte na mitologia romana) e Afrodite. Fobos é, em todo o Sistema Solar, o satélite que orbita mais próximo do planeta-mãe: menos de seis mil quilômetros acima da superfície marciana. Encontra-se, por isso, abaixo da órbita síncrona para Marte.

Por esse motivo, a sua órbita vai descendo a um ritmo de 1,8 m por século. Assim, dentro de 50 milhões de anos pode ocorrer uma de duas coisas: ou Fobos se despenha sobre Marte ou, o que é mais provável, antes que isso aconteça as forças gravitacionais destruirão o satélite criando um anel à volta de Marte. Também por conta de sua proximidade, ela orbita mais rápido do que a rotação marciana, o que a fazer "nascer" e se pôr três vezes por dia. Os astrônomos supõem que o satélite era provavelmente um asteroide que foi capturado pela força de gravidade do planeta. Uma curiosidade a respeito de Fobos, é que não pode ser visto do extremo norte nem do extremo sul de Marte porque sua órbita é alinhada à Linha do Equador

Deimos, que em grego significa Pânico, vem de uma figura mitológica grega e é um dos três filhos de Ares (Marte na mitologia romana) e Afrodite. Essa é a menor e mais afastada das duas luas de Marte. É, também, a menor lua reconhecida do Sistema Solar. Deimos tem um raio médio de 6.2 km e uma velocidade de escape de 5.6 m/s (20 km/h). Além disso, a lua leva 30.3 horas para girar em torno de Marte com uma velocidade orbital de 1.35 km/s. Deimos demora o mesmo tempo a completar uma volta ao redor de Marte, quanto a completar uma volta sobre si próprio. Como consequência disso, Deimos tem sempre a mesma face voltado para Marte.

A lua foi descoberta – juntamente com Fobos, o outro satélite de Marte – em agosto de 1877 por Asaph Hall e fotografado pela Viking 1 em 1977. Deimos tem um formato bastante irregular e acredita-se que se trate de um asteroide que foi perturbado de sua órbita por Júpiter e que acabou por ser capturado pela gravidade de Marte, passando a ser seu satélite.

Esperamos que ao desbravar Marte ter uma vista como essa mostrada abaixo:

Desbravando Marte
Para continuar nossa viagem, clique no botão abaixo:

Clicar: [PARTE 02]


Fontes Pesquisadas:

Sol
http://astro.if.ufrgs.br/esol/esol.htm
http://www.astronomia.web.st/index.php?aid=50
http://www.colegioweb.com.br/ciencias/estrutura-e-propriedades-sol.html
http://www.astronomia.web.st/index.php?aid=50
https://pt.wikipedia.org/wiki/Erup%C3%A7%C3%A3o_solar

Mercúrio
http://www.suapesquisa.com/astronomia/planeta_mercurio.htm
http://www.explicatorium.com/quimica/Planeta_Mercurio.php

Vênus
http://www.ccvalg.pt/astronomia/sistema_solar/venus.htm
http://www.ccvalg.pt/astronomia/sistema_solar/venus.htm

https://pt.wikipedia.org/wiki/V%C3%A9nus_(planeta)

Terra
https://pt.wikibooks.org/wiki/Astronomia_mirim/Terra#O_que_falar_sobre_a_Lua.3F
http://www.calendario-365.com.br/epocas-estacoes-do-ano.html
http://planetasustentavel.abril.com.br/planetinha/natureza/ela-incrivel-10-curiosidades-legais-terra-630638.shtml
http://ahduvido.com.br/10-curiosidades-incriveis-sobre-o-planeta-terra



Marte
http://www.siteastronomia.com/planeta-marte
https://pt.wikipedia.org/wiki/Marte_(planeta)
https://pt.wikibooks.org/wiki/Astronomia/Marte
http://www.suapesquisa.com/marte/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Marte_(planeta)
http://www.ccvalg.pt/astronomia/sistema_solar/marte.htm
http://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/marte-ja-teve-oceano-com-volume-de-agua-superior-ao-artico-segundo-estudo-da-nasa-15519197
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150928_marte_descobertas_cc
http://www.ccvalg.pt/astronomia/sistema_solar/marte.htm
http://www.ccvalg.pt/astronomia/sistema_solar/marte.htm

Luas de Marte
https://pt.wikipedia.org/wiki/Fobos_(sat%C3%A9lite)
https://pt.wikipedia.org/wiki/Deimos_(sat%C3%A9lite)

6 comentários:

  1. Muito bom. Adorei a leitura e a viagem pelo Sist. Solar. manda ver na 2a parte.

    ResponderExcluir
  2. Que bom que você gostou. Estava meio sem inspiração para fazer a 2ª parte e por isso acabei atrasando ela, mas estou quase saindo de uma viagem bem divertida e interessante, e vou voltar com fôlego total para colocar mais matérias legais no meu blog.

    Boa sorte e tudo de bom para você.

    ResponderExcluir
  3. fala sobre netuno agora, por favor

    ResponderExcluir
  4. Vou fazer sim viu, talvez saia nos próximos dias, estou meio enrolado com as postagens porque estava viajando e também dei uma parada para reformular o meu blog.

    Não se preocupe porque não sairá só Netuno, sairá a segunda metade do nosso Sistema Solar inteiro.

    Fico muito feliz por estar gostando. Obrigado.

    ResponderExcluir
  5. Maneira essa viagem! Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  6. Que bom que você gostou, em breve sairá a terceira parte dessa viagem incrível!

    ResponderExcluir

Botão Voltar ao Topo