Menu Principal

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Conheça a Libéria

Todos sabem que a África foi conquistada, colonizada e divida pelos Europeus, que dominaram esse continente durante vários séculos. Mas... Nem todos os países foram conquistados por eles, apenas dois se safaram, são eles a Libéria e a Etiópia:


Neste Post trataremos sobre a Libéria, sua origem, porque se safou e como está nos dias de hoje. Já no próximo trataremos sobre a Etiópia.

A Libéria
~ Origem ~


A República da Libéria é um pequeno país localizado na África Ocidental, com um território de aproximadamente 111.369 km², um pouco maior do que o Estado de Pernambuco. A Libéria faz fronteira com a Guiné ao norte, Serra Leoa a noroeste, e Costa do Marfim a leste e o litoral é banhado pelo Oceano Atlântico.

No Final do Século 19 essa região já era conhecida pelos portugueses, mas de fato, nunca chegou a ter assentamentos europeus. Nessa mesma época a escravidão também estava terminando nos Estados Unidos, por isso o governo, os senhores de terra e os abolicionistas estavam pensando em alternativas para resolver o problema. E uma das soluções apresentadas por eles foi repatriá-los de volta para a África [Apesar de parecer algo absurdo para os dias de hoje, a sociedade dessa época achou que essa seria a solução ideal].

Então os americanos resolveram seguir os mesmos moldes da Inglaterra, que estava repatriando ex-escravos para Serra Leoa [algo que foi um verdadeiro fracasso, porque quase todos morriam, seja por doenças, pela fome ou pela precariedade de vida nesse local]. E como os ingleses. ocorreram os mesmos problemas, que causaram a morte de inúmeros ex-escravos americanos, novamente por febre amarela e malária, naufrágios e também pela precariedade de vida desse local.

Em 1821 a Sociedade Americana de Colonização [ACS] enviou um diplomata representando-a: Eli Ayres [devidamente acompanhado de mais um exército de uns 70 homens], que navegou cerca de 200 km pela costa da África, nas proximidades de Serra Leoa e finalmente escolheram um local chamado de Cabo Mensurado [local que fica a atual capital do país].

Plano de fundação da cidade de Monróvia, no século 19.

Entretanto, essa terra já tinha dono, pertencia às tribos Dey e Bassa, habitantes do local a séculos. "Após negociações nem sempre amistosas, esses chefes tribais cederam aos americanos uma faixa litorânea de 40 quilômetros de comprimento por 4 quilômetros de largura em troca de armas e garrafas de rum que hoje valeriam, juntas, 300 dólares”, afirma James Riley, professor do departamento de história da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos.

Essa divisão que definiu o território liberiano sem pensar nas graves consequências que viriam fez com que os ex-escravos vivessem um verdadeiro pesadelo, o que instaurou conflitos com os nativos da região desde a chegada desses imigrantes.

~ História ~

Em 1822 foi fundada a capital Monróvia, em homenagem ao presidente americano James Monroe. Em 1847 o país proclamou independência. Com esse acontecimento a Libéria foi o primeiro país independente da África.

“No início, a administração foi entregue a representantes escolhidos pela própria ACS. Mas, com o crescimento populacional e o progressivo alargamento do território, começaram a surgir lideranças locais entre os ex-escravos”. Na expectativa de aumentar as áreas cultiváveis, esses primeiros moradores passaram a adquirir mais terras e avançar suas fazendas além das fronteiras originais. Em menos de 40 anos, o país cresceu duas vezes de tamanho.

Tribo Grebo, na Libéria
Assim, começou-se as primeiras desavenças com as tribos locais, principalmente com os Grebos e Crus. As fronteiras traçadas pela ACS dividiram etnias aliadas e reuniram no mesmo território cerca de 15 etnias, algumas delas inimigas há séculos. “Os conflitos eram inevitáveis.” Além disso, enquanto as áreas litorâneas colonizadas pelos negros americanos prosperavam com plantações de mandioca e café e a extração de borracha, o interior habitado pelas tribos africanas era totalmente negligenciado.

Em meio a tanta instabilidade o país proclamou sua independência em 1847 e no início ainda contavam com apoio americano, que foi se esvanecendo aos poucos, até que os liberianos tiveram que se virar sozinhos.

Abaixo os principais acontecimentos da história do país:

- 1903: os britânicos forçaram a Libéria a entregar parte de seu território a Serra Leoa, e os franceses avançaram sobre a fronteira com a Costa Marfim.

- Após a guerra, o país quase em falência recebeu um "generoso" empréstimo americano, mas depois de muitos anos tiveram que pagar essa dívida, que de certa forma foi paga cedendo áreas para as empresas americanas de pneu para explorar borracha.

- 1940: A indústria de ferro e borracha estava dando muito lucro e durante alguns anos aumentou a renda da classe média, e os novos-ricos passaram a comprar terras em áreas antes habitadas exclusivamente pelos nativos, o que colaborou para acirrar os conflitos.

Presidente Willian Tubman
- 1943: O Presidente Willian Tubman muda a Constituição para ficar no poder por vários mandatos consecutivos, e devido a má distribuição de renda 95% da população se sentia marginalizada.

- 1971: Morre Willian Tubman e assume o vice-presidente, que governa em constante tensão, até que em 1980 um grupo de jovens líderes guerrilheiros de várias etnias se uniu para tomar o poder, liderado pelo sargento Samuel Doe, então com 28 anos.

Para piorar as coisas esse presidente começou a favorecer os membros da sua etnia, os Krahns em detrimento de todas as outras que conviviam na Libéria e os grupos Dan e Mano [no Norte da Libéria] passaram a ser duramente perseguidos.

- 1989: As etnias discriminadas por Doe assumiram a linha de frente num golpe militar, que matou o presidente e a partir daí começou-se uma guerra civil entre os grupos tribais que disputavam o poder. Essa guerra durou sete anos e o banho de sangue só acabou com a intervenção das tropas internacionais.

- 1996: Dissidentes que estavam aquartelados na Guiné invadiram o país e essa nova guerra civil durou até 2003, com a eleição de um governo de conciliação nacional, e novamente com intervenção militar dos americanos.

Até crianças e adolescentes foram usadas na Guerra Civil da Libéria.
- Com a economia em frangalhos, a Libéria agora tenta, aos poucos, refazer o sonho dos primeiros imigrantes, que tinham orgulho em pronunciar o nome do país, uma homenagem à liberdade.

~ nos dias de Hoje ~

Mercado da Cidade de Monrovia, Capital da Libéria.
A língua oficial do país é o inglês, que convive com outras 16 línguas nacionais faladas pelas diversas etnias que compõem o país. Com uma população de cerca de 3.786.000 indivíduos, a maioria dos liberianos, cerca de 85% seguem a religião católica, com 12% de muçulmanos e o restante de adeptos de religiões tradicionais africanas.

A região é ricamente dotada de água, recursos minerais, florestas e um clima favorável a agricultura. A Libéria ainda tem sido produtora e exportadora de produtos básicos, principalmente madeira e borracha. Manufaturas locais, principalmente estrangeiras, ainda são pequenas.

O estabelecimento do Governo Nacional de Transição da Libéria (NTGL) e a chegada de uma missão da ONU são sinais encorajadores de que a crise política que está terminando. A restauração da infraestrutura e aumento de rendas na economia dependem da implementação de políticas de macro e micro economias, incluindo o encorajamento de investimentos estrangeiros, e o apoio generoso de países doadores. O país teve um crescimento no PIB de 7,11% durante 2004, especialmente na indústria, a menor do mundo. (77% do PIB é agropecuário).

Veja um pouco das belezas da Libéria através do Vídeo abaixo, de nome Beautiful Libéria:


A melhor forma de se conhecer mais desse país é pelo relato de alguém que já foi para lá. Então clique na Foto ou no botão abaixo e leia o relato da jornalista Carol Balro em primeira mão e saiba mais um pouco sobre a Libéria.

Obs.: Ela foi em 2012, então não está tão desatualizado.
Clicar: [Relato Libéria]


Se tiver gostado e quiser ver mais postagens dessa mesma Coleção, clique no álbum abaixo:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo