Menu Principal

sábado, 16 de janeiro de 2016

Pato Branco - PR [02 a 08 de Novembro de 2015] - Parte 06

Enfim, esse é o último post sobre o relato dessa viagem.



E provavelmente a parte mais difícil para mim durante toda essa viagem.



Pato Branco - PR

[PARTE 01] - [PARTE02] - [PARTE 03]
[PARTE 04] - [PARTE 05] - [PARTE 06] 

Se tiver caído aqui direto e desejar voltar para o Início do Relato, clique no Botão abaixo:

Clicar: [PARTE 01]

Agora estarei continuando com o Relato da Viagem que fiz para Pato Branco (PR).


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Sexta, 06/11/2015 [Cont.]

Enfim, deu a hora de ir pro almoço, só não contava com o desrespeito de uma das colegas, que ficou falando em alto e bom som com outros colegas:

- Nossa, que coisa mais irresponsável que esse menino fez, e tananã... [mas ignorei isso e fui almoçar, sem é claro, ficar com essas palavras na minha cabeça e pensar no seguinte: provavelmente essa será a última viagem que fiz por esse Museu Itinerante]





Após almoçar quase a mesma coisa da semana inteira, como de praxe, fui conferir mais um pouco do evento, dessa vez verificando o que tinha de interessante no 2º Galpão da ExpoPato.




Essa parte também era muito ampla:





O primeiro estande que fui conferir e que chamou muito a minha atenção foi o da Prefeitura de Pato Branco, que era bem bonito e tinha joguinhos interessantes voltados para as crianças.







E em seguida vi outros estandes voltados para a divulgação, vou apenas citar o nome e colocar poucas imagens deles para se ter uma noção da tamanha estrutura desse evento.


Estande da Sindmetal





Estande da Atlas





Estande da Ar-Led






Estande da Xpert





E agora comecei a olhar a outra metade, que era inteiramente dedicada a área da robótica.









A grande maioria dos estandes era bem parecida, tinha alguns alunos e diversas miniaturas de robozinhos, mas uma em especial me chamou a atenção:





Até perguntei aos meninos o que o robô deles fazia, mas assim que o menino vestiu a fantasia entendi pra que ela servia:



Não resisti e tirei foto junto ao mascote:




O meio do pátio era mais legal ainda, ali havia uma mistura completa de robozinhos mexendo de um lado para o outro, super interessante!








Ainda haviam mais uns 20 estandes de divulgação, mas prefiro não colocá-los aqui porque praticamente todos eles estavam sem ninguém na hora do almoço. Dado meu tempo, voltei pro trabalho, e dessa vez encheu pacas!









Fiquei novamente ajudando na explicação das exposições externas, mas como tinha muitas crianças resolvi mostrar o do porquinho pra elas, porque acho muito divertido os pequenos tentando pegá-lo e acharem estranho quando suas mãos atravessam o reflexo do objeto.





Parece que o porquinho está projetado para fora dos pratos, mas na verdade ele está lá no fundo:




Depois de ralar muito lanchei um salgado e dei uma passada bem rápida em um estande que ainda não tinha visitado.




Estande da CEPB






Aqui funcionava uma espécie de Oficina de Contação de Histórias para as criancinhas. É muito legal porque faz com que o evento se torne interessante para todas as idades, desde os mais pequenos até os jovens, os casais e as famílias.


Após às 16:00h finalmente fomos embora.





Estava super cansada, suado e esgotado do trabalho, então fui tomar meu banho, só não contava um grande vilão que me atrapalhou praticamente todos os dias da viagem, essa cara:




Simplesmente não consegui entender de jeito nenhum como fazia para essa alavanca deixar o chuveiro quente, e só consegui fazer isso em apenas um ou dois dos dias que estive por aqui.


Depois de descansar um pouco saí andei um pouco pelas redondezas e tomei um Sorvete na Nono Balin, que não estava muito longe do nosso hotel.






Com tudo terminado, descansei mais um pouco e dormi. O próximo dia seria o último dia das Exposições do Museu Itinerante na Cidade de Pato Branco, e como não podia deixar de ser, foi um dos mais movimentados.


Sábado, 07/11/2015


Para começar o dia, é claro, não podia faltar um bom café da manhã:




E fomos para nosso último dia das exposições da ExpoPato.




Como chegamos um pouco cedo e os visitantes ainda não estavam chegando, aproveitei para fazer um pequeno tutorial de alguns dos experimentos, como por exemplo, o passo-a-passo de como montar o Arco Catenário, confira aí:


1º - Colocar o Suporte no meio entre as duas pecinhas que são fixas.




2º - Verificar pra que lado elas estão inclinadas, e seguindo o desnível do suporte, empilhá-las na ordem, 1,1, 2, 2, 3, 3 e por aí vai até chegar nas últimas.




3º - A última peça deverá ficar exatamente no meio, que nem fiz na imagem abaixo:



4º - Com todas as peças no lugar, agora é hora de fechar o suporte e retirá-lo.





E pronto, o Arco Catenário está firme, forte e estável, mesmo sem esse suporte.




Essa forma de montagem faz com que algumas forças da física atuem entre os blocos, deixando ele bem estável, mesmo que não haja nada segurando o bloco superior.


Aproveitando, tirei umas fotos bem de pertinho do Homem Fatiado:





E esse espacinho que estava vazio:





Rapidinho já começou a receber seus primeiros visitantes:









Depois de algum tempo trabalhando, dei minha primeira parada para um lanche rápido.




E continuei a trabalhar, até que deu a hora do almoço.






Dessa vez, além do almoço, resolvi finalmente me deliciar com o picolé da Mexileta.






Muito bom! Aprovado!


Como já tinha visitado todos os lugares que queria da feira, resolvi tentar a sorte novamente no Zombie Zoid, mas acabou que tomei uma surra, pra mim que sou um péssimo jogador, passei muito aperto e só apanhei e acabei não conseguindo avançar praticamente nada no jogo.





Eu tomando muito porrada dos zumbis!
Antes de voltar não deixei de tirar aquela foto especial de um dos meus videogames favoritos de quando eu era pequeno: o Mega Drive.



Pra não fica no vácuo, assista ao vídeo abaixo, do Guilherme Gamer, contando a história desse videogame lendário.





E voltei para o trabalho, não tirei mais nenhuma foto do evento porque aquela mesma menina reclamou [em claro tom de ameça: dizendo - não quero que você tire mais fotos do evento]. Então não tirei mais nenhuma, ou melhor, só uma:


Completar isso aqui é muito difícil, então mereceu uma foto

Encheu tanto, mas tanto de tarde, que mal dava pra respirar de tanto que a gente trabalhava, e acabou que fiquei ajudando no Simulador de Envelhecimento, que formava enormes filas e não parava em momento nenhum.


Depois de trabalhar muito ali voltei a ajudar nas exposições externas e também ajudei a passear com os visitantes que estavam usando o óculos de realidade virtual do museu. De tarde parei pra comer o meu lanche.




Tive a brilhante ideia de comprar um enroladinho e um salgado de frango e queijo [esse com formato quadrado], mas não dei conta e tive que jogar um deles fora porque fiquei muito cheio.


Após comer ainda trabalhei bastante, mas como não pude tirar mais nenhuma foto do evento, vou direto para o momento em que paramos de receber os visitantes e começamos a colocar as coisas de volta no caminhão.




Esse processo de guardar as coisas é bem complicado e demorada, todos ajudaram, inclusive os carregadores e passamos mais ou menos umas 2 horas guardando tudo, mas por fim, aquele lugar que estava cheio de coisas interessantes ficou totalmente vazio.


Então, finalmente chegou a hora de ir embora.




Assim que descansei bastante fui para uma lanchonete ao lado do Hotel e comi um Hambúrguer de Frango com Catupiri, que por sinal é excelente.



Óia que monstrão!
De noite terminei de deixar tudo arrumado para ir embora no outro dia.



Domingo, 08/11/2015


Saí bem cedo e essa seria a última vez que viria o Saguão desse Hotel.





Aproveitei pra comer meu último lanche e depois fiquei esperando a Van nos buscar.




E fomos embora, mas com uma grande trabalheira porque estava chovendo demais e eu estava sem nenhum guarda-chuva na hora.





Após cerca de pouco mais de uma hora na estrada chegamos ao Aeroporto de Chapecó, em Santa Catarina.




Como ainda tinha um tempinho antes do avião sair fui para fora verificar como era a paisagem do lado de fora.






Fiquei mexendo no Laptop fazendo alguma coisa pra passar o tempo, até que deu a hora de entrarmos na Sala de Espera e dali partimos rumo ao Aeroporto de Porto Alegre.







O voo em si foi bem rápido, durou mais ou menos umas meia hora, assim aproveitei para assistir um episódio de Família Dinossauro [pra matar a saudade dos velhos tempos] enquanto comia uma gostosa balinha em formato de avião.




E chegamos em Porto Alegre.





Aqui nosso próximo voo só sairia mais de 5 horas depois, então muitos foram para o Shopping, outros resolveram ir para a Cidade Baixa no Centro de Porto Alegre [acredito que estavam tentando ir para o Mercado Central de lá] e eu acabei preferindo ficar no próprio Aeroporto mesmo, precisava juntar dindo para minha viagem de Porto Seguro e não queria gastar nesse dia, por isso só procurei um lugar para almoçar e fiquei quieto mexendo no Laptop.





Só consegui ficar na Internet por meia hora, aí meus créditos do Linkedin acabaram e ficava sempre cobrando para poder mexer mais, como não queria pagar nada porque acho que isso é muita sacanagem preferi passar meu tempo vendo um anime que eu tinha guardado no PC há um bom tempo:



The Law of Ueki

Valeu muito a pena porque fiquei bem entretido vendo os episódios de The Law of Ueki e dessa vez consegui ficar bem mais entretido do que durante a ida. Já assisti esse anime uma vez e pra quem gosta desse tipo de coisa é bem interessante de se ver, até deixei o link abaixo caso tenha vontade de assistir:


http://www.superanimes.com/the-law-of-ueki


Sinópse: Kousuke Ueki, um estudante da Hinokuni Junior High School, é escolhido por um candidato Deus, Koba-sen, para participar de uma competição onde as pessoas lutam para se tornar Deus e só os mais fortes irão prevalecer. Consubstanciado com a capacidade de transformar o lixo em árvores, Kousuke irá juntar-se na batalha contra outros estudantes da escola secundária nesta seleção. Isso define a premissa para a batalha, onde os alunos vão colocar os seus poderes contra os outros, até restar apenas um, que terá como prêmio final o Talento Vazio.


Somente às 18:46h pudemos ir para dentro do Avião, que voou rumo a Belo Horizonte.







Dessa vez o voo demorou cerca de 2 horas, e para ajudar a minha TVzinha era a única que não estava funcionando em todo o avião, e ainda por cima passamos por uma área cheia de turbulências, por isso o avião balançou demais durante boa parte do percurso, ao ponto até do Piloto ligar seu rádio e explicar para as pessoas que essa turbulência era normal e que não precisávamos ficar preocupados. Meu único entretenimento aqui foi meu lanche mesmo:




Cheguei no aeroporto por volta das 23:30h, e estava estranhando, não entendendo porque o Aeroporto da Pampulha estava parecendo tão grande ao meu ver.







Até que caiu minha ficha:



Eu estava no Aeroporto de Confins, há mais de 2 horas de distância de ônibus. Fui ao Banco para tirar um dinheiro para pegar algum busão e todos os caixas eletrônicos estavam com defeito nessa hora. Então pedi ajuda para minha família e meu irmão mais novo [o mesmo que me levou na ida] ficou de me buscar novamente.





Quando ele chegou pude colocar as coisas no bagageiro da moto e partimos de moto até minha casa. [Se ele não tivesse me ajudado eu teria que ficar acordado até o outro dia no aeroporto, e só depois das 10:00h da manhã, quando o banco abrisse que eu poderia ir embora]





Chegamos em minha casa próximo das 00:40h, então coloquei as roupas sujas para lavar e fui comer uma torta feita pela minha mãe. Após comer tomei meu banho e fui dormir, mas tive de madrugar pra ir ao trabalho, entretanto saí um pouco mais cedo para finalmente poder descansar meu corpo.


E para terminar, as conquistas do passeio:






Fim da viagem.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo