Menu Principal

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Porto Seguro - BA [09 a 16 de Janeiro de 2016] - Parte 01

Com as merecidas férias, fiz uma viagem do Estilo Sol e Praia para Porto Seguro junto da Luciana, entre os dias 09 e 16 de Janeiro de 2016.


Acho que deu pra se divertir bastante e até conseguimos tirar umas fotos bem legais! [Mesmo que eu tenha cometido algumas falhas ao planejar meu roteiro dessa vez]



Estarei dividindo esse relato em duas partes: na primeira estará o relato propriamente dito, já na segunda deixei as dicas de roteiro dessa viagem para quem não deseja ver como foi o meu relato.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 


Então vamos começar...

Sábado, 09 de Janeiro de 2016

Depois de ter uma noite bem dormida e já com as malas arrumadas [tinha deixado ela pronta na quinta-feira ainda], mais ou menos às 9:00h fui até a casa da Luciana para filar a comida da sogra e partir de lá junto com ela.

Minha bagunça
Bagunça da minha mãe, na cama ao lado [e a cama nem é dela!]
Depois de esperar um pouco peguei o bus que ia pro Alvorada.



Por lá fiquei esperando a Lu se arrumar, ela estava doida porque deixou tudo pra última hora, então arrumou uma correria danada, após almoçar chegou a hora de partir, primeiro rumo ao metrô.




Já no metrô, fomos até a Estação Lagoinha para dali entramos na Rodoviária de Belo Horizonte e pegamos o ônibus da Unir que vai pro Aeroporto, que aliás, sai muito mais barato do que pegar um táxi ou o Move Conexão Aeroporto que o pessoal gosta de pegar.


E agora sim, finalmente estávamos realmente a caminho do Aeroporto de Confins!


Depois de pouco mais de uma hora [ou duas, não sei ao certo] chegamos em Confins.
Obs.: Parece estranho minha mochila ficar pra frente mas acho melhor ficar feinho do que ter os pertences furtados de bobeira no Centro de BH.


Já no local certo bastava apenas esperar o horário do nosso voo, que saiu no horário certo e sem maiores problemas.



Dada a hora, então bora pra Porto Seguro...




Já acima das nuvens pudemos ter o nosso lanchinho e seguimos uma viagem tranquila até o Aeroporto de Porto Seguro.





No pacote que fiz com a Master Turismo estava incluído a viagem de ida e volta para Porto Seguro e o translado até o nosso Hotel, então ali já nos encontramos com um dos guias da Coconut Tours, que ficou encarregado de nos levar até lá.


Como não estávamos muito longe do aeroporto chegamos bem rápido no Hotel Márlim, onde seria nossa estadia por toda essa semana.




Nosso quarto dessa fez era bem simples, mas tinha o que precisávamos: um Frigobar vazio pra guardar as águas! A cama era confortável [apesar de no primeiro dia terem colocado dois colchões como improviso - depois disso deixaram um colchão de casal], o ar condicionado era muito bom e os hóspedes também são agraciados com uma piscina que fica no centro do hotel.

Outra coisa que gostei bastante daqui era a localização, no Centro, próximo de bons restaurantes com o preço bem em conta e também da Passarela do Álcool, local ótimo pra quem curte muita cerveja e também compras de tudo o que você pensar, seja de artesanatos, roupas, acessórios e muito mais!


Aqui tive um imprevisto que não estava contando [claro, quando a gente conta não é imprevisto!!!], dei a bobeira de deixar pra transferir o dinheiro que tinha guardado da poupança para a conta de débito somente aqui porque estava com preguiça de fazer isso em Belo Horizonte e em Porto Seguro simplesmente não existe nenhum Santander [nunca imaginei isso, já que viajei até para Pato Branco, no Paraná, 300 km depois de Judas ter perdido as botas e lá também tinha Santander] e como fiquei muito preocupado em não poder fazer nada por ter pouco dinheiro do débito fechei o pacote todo no Crédito com a Coconut Tours.

Notas: De certa forma acho que falhei um pouco aqui, primeiro por ter dado essa bobeira de não ter feito o que devia em minha própria cidade, e depois por ter fechado muitos passeios focando somente nas Praias, já que achava que outros passeios interessantes, como o de Chalana, eram feitos somente na praia.

Acho que uma boa dica para quem quer usar agências de turismo pra ter mais comodidade é não fechar tudo na hora como eu fiz. Se estiver no Centro dê uma passada em outras agências e feche pacotes diferentes [como por exemplo, passeio de chalana, mergulho de cilindro, passeio de quadriciclo], pra que o roteiro não fique muito repetitivo ou engessado. O que nos salvou foi que os guias da Coconut são todos excelentes e apesar de estarmos mais nas praias deu pra fazer outras coisas muito interessantes.

Nosso Roteiro [que sofreu algumas mudanças no decorrer da semana], acabou ficando assim:
NOSSO ROTEIRO

Sábado, 09 de Janeiro de 2016
- Translado de Ida da Região Metropolitana de Belo Horizonte para Porto Seguro;

Domingo, 10 de Janeiro de 2016
[Parte da Manhã] City Tour no Centro de Porto Seguro;
[Parte da Tarde] Barraca Barramares, na Beirada da Praia;

Segunda, 11 de Janeiro de 2016
[Parte da Manhã] Praia de Pitinga, em Arraial d'Ajuda;
[Parte da Tarde] Centro de Arraial d'Ajuda;

Terça, 12 de Janeiro de 2016
[Manhã e Tarde] Praia dos Espelhos;

Quarta, 13 de Janeiro de 2016
[Manhã e Tarde] Trancoso;

Quinta, 14 de Janeiro de 2016
[Parte da Manhã] Praia de Santo André;
[Horário do Almoço] Oficina do Sabor e Berimbau Park;
[Parte da Tarde] Coroa Vermelha [Aldeia dos Índios Patachós];

Sexta, 15 de Janeiro de 2016
[Parte da Manhã] Recife de Fora;

Sábado, 16 de Janeiro de 2016
- Translado de Volta de Porto Seguro para a Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Continuando ao passeio...

De noite resolvemos comer uma boa pizza no Mama's para comemorar a nossa chegada na cidade.




O que achei mais legal aqui é que eles usam esses mini-forninhos pra deixar a pizza aquecida, além disso a massa é muito fina e a pizza é realmente deliciosa e pra ajudar o preço é muito baixo. Vale a pena comer aqui!


Após comer resolvemos andar um pouco [na verdade um bocado] pelo Centro da Cidade, o que mais tinham eram opções de vestuário e restaurantes para todos os gostos, além de dezenas e mais dezenas de lojas de souvenirs.

Quem é colecionador como eu pode ficar tranquilo que certamente tem alguma coisa bem legal que se adequará ao seu gosto. Fiquei tão entretido comprando que até esqueci de tirar mais fotos, mas não tem problema porque em quase todos os dias demos uma passada no centro da cidade pra passear ou comer alguma coisa.

Os enfeites de natal decorando a cidade ficaram tão legais que acho que a Prefeitura quis deixar eles aqui por mais algum tempo ainda.



Terminado tudo o que queríamos fazer fomos dormir, no próximo dia começaríamos com os nossos passeios por Porto Seguro.

Domingo, 10 de Janeiro de 2016

Já acordados, a primeira coisa que fiz foi tirar algumas fotos do hotel.




Não esquecendo, claro, de tomar nosso café da manhã.



Nosso primeiro passeio foi no Centro Histórico de Porto Seguro, e para nos levar até lá a Coconut enviou uma Van para nos buscar.



Uma das coisas que reparei é que os baianos realmente amam sua terra, são dedicados e mesmo nas coisas mais simples fazem todo o possível para agradar os turistas. A primeira coisa que o Guia Jackson nos mostrou foi de onde era tirado o Cacau da Fruta.




Sempre achei que era usado a polpa para fazer o chocolate, mas na verdade é usada essa semente, que é torrada e nela são realizados outros processos até chegar no chocolate que conhecemos atualmente. Perto dali também tinha um vendedor vendendo sementes que ajudam no tratamento de várias coisas.


Acabei não prestando muita atenção, pois nossas atenções se voltaram mais para o índio vendedor de brincos, que estava ali perto.



A Luciana gosta muito dessas coisas que usam penas e não resistiu, já fez a sua comprinha! E após algumas explicações, começamos com nosso passeio pelo Centro Histórico de Porto Seguro.






Achei muito legal a história daqui, que é basicamente o começo da história do Brasil: As casinhas eram feitas coladas umas as outras, sempre dando um espaço no meio para a rua, que dividia os vilarejos em dois, e ao fundo era construída uma igreja. Além disso, entre todas as casinhas havia uma porta.

Isso ajudou os primeiros portugueses a se prevenir dos ataques constantes dos índios que não queriam eles nessa região. Falando em índios, os das costas brasileiras eram amigáveis com os portugueses e aceitavam permutas de objetos europeus em troca de comida e outras coisas que eles possuíam. Já os das matas fechadas eram hostis e atacavam os portugueses sempre que tinham oportunidade.


Outro detalhe interessante era que esses vitrais utilizados nas Torres das Igrejas vinham diretamente de Portugal, e como os vidros quebravam sempre durante o percurso colocavam esse vidro do jeito mostrado acima. Isso era bom porque o sol forte ajudava o vidro a brilhar e isso facilitava a vida dos marinheiros, pois conseguiam ver onde estava o vilarejo mesmo estando distantes da costa.






Após as explicações do guia andamos mais pelo local, tiramos muitas fotos e compramos mais algumas coisinhas pelas lojinhas. Também tiramos fotos dos mirantes bonitos que estavam nessa área.






Após voltar esperamos um tempinho, até que chegou o ônibus que nos levaria para a Barraca Barramares, na beirada da praia.


No caminho até avistamos a Transilvânia!
Chegamos na Barraca Barramares, que já de cara mostrou uma entrada bem elegante!





Fomos direcionados a ficar na parte onde havia areia e muitas mesas, o estabelecimento estava lotado e quase não haviam lugares disponíveis, mas após olhar os preços absurdamente caros, pedimos licença para um casal que estava realizando o Tour com a gente, saímos dali e voltamos na entrada da Barramares novamente para procurar outro local, mas caímos na realidade ao perguntar para os transeuntes, essa barraca estava bem isolada do comércio local da cidade. 

[Aliás, esse é um dos pontos negativos que percebi em Porto Seguro, aqui prevalece um sistema de monopólio das barracas, o que encarece consideravelmente os preços das coisas ao comer nas praias, e nem tem como fugir disso já que a maioria dessas barracas ficam em lugares mais isolados, o que faz com que você nem tenha opção de escolha, e se houver mais de uma barraca próxima da outra os comerciantes não deixam que você compre livremente por elas, somente na barraca que você está com suas coisas]

Então tivemos que voltar e pedi o prato mais simples do menu, que ainda assim saiu caro, já que nem carne tinha no prato.





Como a comida não nos sustentou, resolvi fazer uma gracinha e comprei um açaí na barraquinha ao lado, que também pertencia a Barramares.



Mas aqui aconteceu o impensável, sim ... uma lagarta preta, do tamanho de uma mão, daquelas de coqueiro, subiu na perna da Luciana ... que tem o maior pavor de lagartas, até mesmo daquelas pequenininhas ... O resultado foi catastrófico!


Obs.: Não coloquei a foto da Lagarta original para não traumatizar ainda mais a Lu!!!
Ela deu o maior grito, pulou assustada, quase pediu socorro, ficou toda tremendo, não conseguiu comer mais o açaí e chorou demais, fiquei até desconsertado na hora porque não sabia o que fazer. Ela se acalmou somente quase uns 20 minutos depois desse ocorrido.



O pessoal que estava frequentando essa barraca estavam muito animados, curtindo muito, brincando e até dançando Kuduro!



Passado o susto e com a Lu um pouco mais calma andamos um pouco pela praia.






E até consegui tirar uma foto dela mais animada.



Se você gosta de diversão com agito, por aqui é possível praticar o Banana Board e se jogar de vez no mar, como eu estava fora de forma no nado e a Lu não sabe nadar e não gosta desse tipo de atividade preferi não arriscar.





Até tentamos escrever o nome do meu Blog, Tudo Rocha, pra ver se ficava legal escrito na areia da praia de Porto Seguro.


Dessa vez ainda não tinha ficado boa, também tentamos em outras praias e deixamos com um efeito bem mais legal!
Perto dali também existe um pequeno rio, onde as pessoas aproveitam pra andar de caiaque ou apenas brincar na água.




Às 15:00h tínhamos que voltar para o ponto combinado, então, como estava perto do horário resolvemos voltar. [Pode até parecer que na maioria dos passeios ficamos pouco tempo na praia, mas o calor e a intensidade do sol por aqui é fortíssimo e é melhor ficar um tempo menor na praia e assim evitar queimaduras - eu na verdade, durante toda a semana tive que ter muita atenção, pois meus ombros e a nuca chegaram a queimar um pouco]

Ao sair não deixamos de tirar fotos bem legais em lugares estratégicos feitos especialmente para os turistas.






[Obs.: Nós estamos com olho de peixe-morto porque a intensidade da luz aqui é muito forte, eu por exemplo demorei quase 3 dias para conseguir abrir meus olhos completamente.]

Algo que achei bem legal foi algumas frases de baiano citadas pelo nosso guia da Coconut:

- Braço cruzado é ritual baiano de chamar chuva!
- Vamos-nus todos, mas todos vestidos!

Outra coisa que nos informaram foi para não fazer Tatuagens de Rena, dessas que oferecem na praia, pois não sabemos nada da higiene utilizada nesse tipo de produto. Chegando o ônibus fomos em direção ao nosso Hotel novamente e deu até pra ver de relance a praia de Toa Toa, que também é muito boa!




Depois de chegar no Hotel descansamos bastante e de noite fomos comer algo mais apetitoso no Theta's, já que não demos muita sorte na hora do almoço. O garçom foi muito educado e prestativo e até nos ajudou a tirar uma boa foto.





Depois de jantar e certamente ter andado mais um pouco pela Passarela do Álcool pra levar mais alguma coisinha. Voltamos pro hotel e descansamos mais um pouco. No outro dia teríamos mais passeios divertidos para se fazer.


Clique AQUI ou na imagem abaixo para acessar a próxima parte desse relato.


Clicar: [PARTE 02]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo