Menu Principal

domingo, 29 de maio de 2016

Existem diferenças entre o Português do Brasil e o de Portugal?

Todos sabemos que o Brasil foi colonizado por Portugal e por isso herdamos essa língua tão interessante que é o português.




Mas será que sendo a mesma língua, mesmo depois de 500 anos ainda falamos e escrevemos de forma igual? Confira e descubra.

Na verdade há diferenças sim, e muitas: que vão desde o vocabulário [diferença no significado de certas palavras] a fonética [diferença na forma que os portugueses pronunciam as palavras].

Para entender um pouco melhor de onde vieram tantas diferenças, vamos recorrer a história!


O Português foi estabelecido como língua oficial do Brasil em 1758, mas nessa época o contato com povos indígenas e escravos africanos já havia alterado a língua falada por aqui.


Os africanos que chegaram como escravos não frequentavam escolas e portanto aprendiam português na oralidade, criando diferenças em relação à língua original. Mais tarde, no final do século 19, chegaram ao Brasil imigrantes europeus e asiáticos, que promoveram novas mudanças na forma de falar do brasileiro.


Em outras colônias portuguesas, como Angola e Moçambique, a mistura de povos foi menos intensa e a independência ocorreu há muito menos tempo. Por isso, fala-se um português mais parecido com o europeu, embora também existam sotaques regionais. Por razões diversas, tanto lá quanto cá, algumas palavras aparecem, desaparecem ou até mudam de significado.

Voltando aos Tempos Atuais:

Agora que sabemos o porquê de existirem essas mudanças, vamos vê-las mais de perto através do vídeo abaixo:



Bem diferente não é? Agora nos atentaremos as principais diferenças.

Diferenças na Fonética


A diferença chega ser gritante. Ás vezes é até difícil de entendermos os portugueses [que parecem estar falando de forma bem nasal]. De modo geral, a pronúncia em Portugal é mais rápida e seca: Al'manha (Alemanha), esp'rança (esperança), p'reira (pereira).

Os portugueses ainda possuem o hábito, em Portugal, de alongar certas vogais, transformando-as em ditongo – senhoire (senhor), fazeire (fazer) – ou de pronunciar como ai, o ditongo ei – baijo (beijo).

Se você curte viagens e deseja perceber de maneira prática como a pronúncia dos portugueses é tão diferente da nossa clique AQUI ou na imagem abaixo e seja direcionado para o post "Quero Ir Lá #23 - Documentários de estrangeiros lusófonos que vivem no Brasil", que basicamente mostra documentários de portugueses que vivem no Brasil.



Diferenças no Vocabulário

Ao compararmos as duas línguas, percebemos que uma série de palavras utilizadas no português do Brasil não são as mesmas encontradas no português lusitano. Veja uma leva de exemplos na tabela abaixo:


Quando um brasileiro resolve viajar ou morar em Portugal deve tomar cuidado com algumas palavras que podem simplesmente nos jogar no buraco.

Exemplos:

  • Bicha [Pode significar "fila" no Português de Portugal];
  • Boceta  [Significa "caixa, caixinha" no Português de Portugal];
  • Calcinha  [Significa "cueca" no Português de Portugal] - Cuidado nas lojas então!
  • Cacete [Significa "pãozinho francês" no Português de Portugal].
Observe mais algumas palavras interessantes: Primeiro no português do Brasil e depois no de Portugal:
  • Abridor - Tira-cápsulas;
  • Aeromoça - Hospedeira de Bordo;
  • Bala - Rebuçado;
  • Celular - Telemóvel;
  • Conversível - Descapotável;
  • Faixa de Pedestres - Passadeira;
  • Geladeira - Frigorífico;
  • Goleiro - Guarda-redes;
  • Grampeador - Agrafador;
  • Meias - Peúgas;
  • Pedestre - Peão;
  • Ponto de Ônibus - Paragem;
  • Professor Particular - Explicador.
Diferenças na Sintaxe



Algumas construções sintáticas muito comuns no Brasil não costumam ser utilizadas em Portugal. Tais como:

1) Colocação do pronome oblíquo em início de frase:

BRASIL: Me dá um presente?
PORTUGAL: Dá-me um presente?

2) Emprego da preposição em, ao invés de "a":

BRASIL: Vou na escola hoje.

PORTUGAL: Vou à escola hoje.

3) Uso frequente de gerúndio, ao invés de infinitivo precedido de preposição:

BRASIL: Estou preparando o almoço.


PORTUGAL: Estou a preparar o almoço.

Os portugueses também passam aperto por aqui

Observe abaixo essas três situações reais, de uma portuguesa que mora em São Paulo, no Brasil. Com certeza poderia acontecer isso com qualquer português que visitasse nossas terras tupiniquins:


- Estou eu a andar calmamente na rua, e distraída como sou esqueci-me de olhar para o semáforo. Um Brasileiro puxou-me para trás e impediu que eu ficasse debaixo de um carro. Disse assim para mim [imaginem sotaque brasileiro claro!]: “Menina, você tem de olhar o farol!”


“Porquê para os faróis?!” Eu inocentemente a pensar nos faróis [luzes dos carros!]. O senhor muito surpreendido, apontou para o semáforo, verde para os carros passarem. “Ah! Entendi. Obrigada”



Estou desesperada no meio do shopping e viro-me para a primeira pessoa que encontro e pergunto: “Sabe onde há uma casa de banho?”

“Que é isso?” Ficou a pessoa muito chocada a olhar para mim.


“Uma casa de banho!” Eu a tentar lembrar-me de palavras. “Toilette, com sanitas e papel higiénico!”

A senhora deve ter pensado que estava a gozar com ela, mas disse-me onde era e acrescentou que casa de banho, no Brasil, é “banheiro”. Digo-vos, fiquei mesmo chateada com ela, como se banho fosse muito diferente de banheiro.



“Vamos pegar a carona do busão?” Quando se está numa parada de ônibus à chuva, ouvimos este tipo de baboseira! Traduz-se assim [para o português de Portugal]: “Vamos apanhar boleia do autocarro?” Quando se está numa paragem de autocarro à chuva, ouvimos este tipo de parvoíces!

Por hoje é só!


Não deixe de ver também:

- Veja árvores incríveis pelo mundo. Clique AQUI ou na imagem abaixo:


- Conheça 5 relatos incríveis feitos por outros viajantes. Clique AQUI ou na imagem abaixo:


- As 7 Maravilhas do Mundo Antigo. Clique AQUI ou na imagem abaixo:


- Como surgiram os quadrinhos? Clique AQUI ou na imagem abaixo:


4 comentários:

  1. Acho escroto pra caralho o jeito do portuga falar. parece que eles estão mastigando uma caceta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um pouco difícil entender eles mesmo quando se ouve pela primeira vez. Eu por exemplo precisei assistir 3 documentários inteiros de quase 40 minutos pra conseguir entendê-los de verdade.

      Mas após algum tempo fica bem fácil e legal ouvir alguém de um povo diferente! Espero que tenha gostado dessa matéria.

      Excluir
  2. Matéria muito legal! Algumas expressões eu ignorava completamente. Sempre bom saber algumas diferenças e peculiaridades linguísticas, que (graças) acordo nenhum nunca vai mudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou! :D

      Também acho super interessante conhecer outras culturas, são bem diferentes de nós mesmo e saber desse tipo de coisa pode até nos salvar de algum perrengue de viagem!

      Excluir

Botão Voltar ao Topo