Menu Principal

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Qual é a maior semente do mundo?

Alguma vez você já parou pra pensar em qual seria a maior semente existente no mundo?


Ela é realmente enorme e só existe em duas ilhas do Arquipélago de Seychelles e vem de uma árvore que pode produzir frutos de 30 quilos, sendo que a semente recordista chegou a pesar 42 kg. Saiba mais sobre essa semente tão interessante.


Essa semente provém da Palmeira Coqueiro-do-Mar [Lodoicea maldivica]. A maior semente do mundo pode medir até 48 centímetros de comprimento e pesar mais de 22 kg. Além de seu tamanho notável, a história por trás do surgimento da planta é construída sobre antigas lendas.

Um coqueiro-do-mar maduro, repleto de frutos, na reserva Valée de Mai, em Praslin.
A fama do coqueiro-do-mar vem de vários séculos e a semente da Lodoicea Maldivica é, de fato, a maior do reino vegetal, podendo um côco inteiro pesar de 15 a 30 kg. As árvores possuem mais de 30 metros de altura e possuem folhas enormes de até 4,5 metros de largura e 10 de comprimento.

Seus frutos, que são comestíveis, possuem um sabor muito semelhante ao do coco-da-bahia [espécie Cocos nucifera]. Contudo, comê-los hoje é uma tarefa difícil, já que a planta está em risco de extinção e seus frutos, quando encontrados, são vendidos por cerca de U$ 1.500,00 [em outras palavras, incríveis R$ 5.097,00 na cotação atual].


Seu ciclo de vida é muito lento: a palmeira leva 25 anos para atingir a maturidade e render frutos. Estes só estarão prontos para reproduzir novas mudas sete anos mais tarde. E um côco no chão só germinará depois de dois ou três anos.

Considerando que uma árvore poderá gerar um descendente apenas aos 35 anos de idade, é compreensível que a espécie seja hoje considerada “ameaçada de extinção” pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

Devido a seu tamanho e forma exuberante – quase sempre comparada às nádegas humanas – a semente sempre foi muita valorizada e procurada por colecionadores durante os últimos séculos. Qualquer semente caída naturalmente no chão da floresta era imediatamente recolhida para ser vendida.

As folhas do coqueiro-do-mar são imensas, podendo chegar a 4,5 metros de largura por 10 metros de cumprimento.
Para piorar a situação, o coco-do-mar só existe em algumas ilhas do arquipélago de Seychelles, no meio do oceano Índico. Pesquisadores apontam que, das cinco ilhas onde a palmeira vivia inicialmente, apenas duas possuem hoje a palmeira em seu estado natural, as ilhas Praslin e Curieuse. Em uma terceira ilha, Silhouette, algumas mudas foram introduzidas e as árvores estão crescendo.


Antes da descoberta das Ilhas Seychelles, na África Oriental, em 1743, acreditava-se que essas sementes eram na verdade frutos de uma árvore gigante que crescia no fundo do mar, por isso a planta recebeu o nome de coqueiro-do-mar.

Eventualmente, durante certo tempo, também se acreditou que os côcos eram originários das Maldivas, o que explica o nome científico da espécie [Lodoicea maldivica]. Outra teoria sugeria que seus frutos eram provenientes da Árvore do Conhecimento, presente no Jardim do Éden, e considerados afrodisíacos. Logo, as mulheres o consumiam com o ideal de se tornarem “irresistíveis”.

Um coco-do-mar normal pode pesar entre 15 e 30 quilos.
As flores masculinas e femininas do coqueiro-do-mar nascem em duas árvores diferentes. Na árvore macho, uma inflorescência de mais de um metro de cumprimento (foto) produz flores que irão polinizar flores na árvore fêmea.
Além de proteger uma população saudável do coqueiro-do-mar, a reserva Valée de Mai também abriga outras cinco palmeiras endêmicas às ilhas Seicheles, uma delas ameaçada de extinção. Já o número de aves que visita a reserva é bem maior. Segundo as listas de observadores de pássaros existem em Praslin 152 espécies, sendo que 11 seriam endêmicas do arquipélago.


Se deseja conhecer outras postagens dessa mesma coleção, clique no álbum abaixo:



E pra fechar, já que falamos em Ilhas Seychelles, observe mais um pouco da beleza da fauna e flora desse lindo paraíso.







Boa sorte e até a próxima!

Fontes Pesquisadas:


Não deixe de ver também:

Zanzibar, o Caribe africano. Clique AQUI ou na imagem abaixo:


Conhecendo a Etiópia. Clique AQUI ou na imagem abaixo:


- Conhecendo o Myanmar, o país dos templos budistas. Clique AQUI ou na imagem abaixo:


Leões Brancos: Uma rara mutação de cor do leão sul-africano. Clique AQUI ou na imagem abaixo:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo