Menu Principal

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Campos do Jordão - SP [04 a 08 de Janeiro de 2017] - Parte 8

Essa é a continuação do passeio que fizemos a Campos do Jordão, em São Paulo.


Agora voltamos pra Campos do Jordão e aproveitamos o dia para conhecer as galerias que tínhamos avistado no dia anterior, além também de conhecermos o Morro do Elefante.


Se tiver caído aqui e desejar ver as outras partes do passeio, basta clicar em um dos botões abaixo:


Continuando com o passeio...

Sábado, 07 de Janeiro de 2017
[Continuação]

Almoço dos céus!

Depois de mais algum tempo percorrendo todo o caminho de volta chegamos até próximo de uma pracinha, pouco antes de nosso hotel.



Então descemos ali e resolvemos subir a rua pra achar algum lugar bem gostoso pra almoçar. A gente estava com muita fome porque tinha saído do Amantikir às 13:45h e já havia passado pouco mais de 1:00h desde que saímos de lá.

O primeiro lugar que encontramos foi o Cantinho da Serra, que ouvi algumas pessoas do nosso grupo comentando bem sobre ele, então resolvemos comer ali mesmo pra compensar o almoço fraco do dia anterior.




O estabelecimento era bem luxuoso, confortável e aconchegante. Em pouquíssimo tempo já fomos atendidos e primeiramente o garçom nos deu uma entrada com algumas saladas.


Na hora eu tinha até ficado na dúvida se era pra comer ou se era de enfeite, mas como passaram molho em cima das coisas achamos que era pra comer mesmo. E ficamos mexendo um pouco na internet de nossos celulares enquanto estávamos aguardando a chegada de nosso prato principal.



A Luciana estava até aproveitando pra mandar um zap pra família dela pra avisar que tinha virado noiva e também compartilhou isso no Facebook pra ver a reação das pessoas.


A gente não sabia, mas o Face mostra praticamente todas as fotos que o casal compartilhou juntos desde o início do relacionamento [no nosso caso, a pouco mais de 3 anos atrás!].

Depois de algum tempo chegou nosso prato, que tinha uma cara ótima e vinha acompanhado de 2 belas e suculentas picanhas!


O arroz e a batata estavam até gostosos, mas o bife [em especial o primeiro que comemos] ... estava surreal de tão gostoso, parecia que a cada mordida a gente ia pro céu e voltava, e sentia o caldo da carne escorrendo por dentro das bochechas e da garganta a cada mordida. Nunca comi algo tão gostoso assim na vida!


Aos poucos o estabelecimento foi lotando e quando assustamos já tinha várias famílias no local. A conta veio pouco mais de R$ 140,00 [valores de 2017], então pra qualidade não ficou tão caro, já que simples hambúrgueres para duas pessoas chega a custar quase R$ 80,00 por aqui.

Galeria Vila Capivari

Assim que saímos do restaurante descemos a rua, mas não fomos para o hotel, e sim para a primeira galeria que avistamos no dia anterior, a Galeria Vila Capivari.







Ela abriga os comerciantes da antiga feirinha do Pico do Itapeva, ponto turístico famoso por ter uma das mais belas vistas da região do Paraíba. No total existem mais de 100 lojas que trazem para o turista produtos de qualidade com preços muito bons [se comparados aos do Centro Comercial].

Aqui são vendidos malhas, chocolates, jeans e moletons, roupas de couro e lã, artesanatos, luvas, lanches e bebidas, chocolate quente, cachecóis, gorros, camisetas, brinquedos e lembranças da cidade em geral para presentear familiares, amigos ou até nós mesmos! De acordo com os organizadores essa galeria tem a capacidade de receber até 20 mil pessoas por dia, o que eu não duvido, já que ela é bem grande.





Aqui comprei uma camisa de fui ali pra mim [estive tentando resistir a semana inteira, mas não consegui, fiquei louco com uma blusa branca de Campos do Jordão que vi e acabei levando ela comigo também]. Aproveitamos e andamos mais pelo local, que é dividido em dois galpões.






Uma loja que vendia copos chamou a atenção da Lu e ela resolveu levar um copo preto com o desenho de uma folha canadense pra ela.



O que ela estava querendo mesmo era chocolates, e vimos a loja certa para isso.




Aqui compramos mais alguns chocolates e aproveitamos pra levar a última garrafa de Amarula que estava sobrando na loja. Eu tinha pensado em levá-la pro meu pai, mas a Lu contestou dessa vez porque sempre era a minha família que recebia a bebida, então acabou ficando pra ela mesmo. Se meu pai ler esse pedaço do relato vai falar pra mim que estou devendo uma Amarula para ele.

Quem estiver com fome não precisa se preocupar porque nessa galeria também existem alguns estabelecimentos que estão focados exclusivamente na alimentação dos clientes.


E já com algumas coisinhas em mãos saímos dali, parando para tirar uma foto no mural da Galeria que fica na parte de fora.


Vila do Artesanato

Praticamente ao lado da Galeria Capivari está a Galeria do Artesanato, que conta com mais algumas lojinhas que também vendem malhas, lanches, mais vestuários, lembrancinhas e artesanatos em geral.












Como já tínhamos comprado o que a gente desejava na galeria de antes acabou que não compramos nada por aqui e apenas circulamos e tiramos algumas fotos do local. E um detalhe interessante: quem estiver precisando de usar o banheiro é só ir e pagar R$ 1,00 [Preços de 2017] para administração pra poder usar o local em caso de necessidade.

Então voltamos pro hotel pra descansar mais um pouco.

Trenzinho da Alegria?

Nesse dia nós agendamos dois passeios, o do Amantikir, que realizamos pela manhã, e o do trenzinho da alegria [ao menos nas palavras do guia], que estava marcado para às 16:00h. Então esperamos no nosso quarto até dar a hora e mais uma vez saímos pra conhecer um pouco mais da cidade.

Nesse passeio subiríamos o Morro do Elefante, um dos pontos turísticos de Campos do Jordão e ainda faríamos um City Tour pela área residencial e de hotéis da cidade.



O passeio começa com o caminhãozinho [chamado de Jardineira Turística] passeando, contornando primeiro algumas áreas normais da cidade, pra depois subir a rua que vai até o Morro do Elefante.








Parque dos Elefantes

Toda essa área que vai subindo até o Morro do Elefante é totalmente residencial e conta com muitas residências e pousadas realmente bonitas e elegantes. Chegamos bem rápido no topo e ali nos orientaram a entrar primeiro no Parque do Elefante. Tiramos uma foto na entrada e seguimos pelo parque.



Aqui havia basicamente o seguinte, esculturas de elefantes [ou seus ancestrais, como o Mamute] em tamanho real ou não em várias poses e formatos para que os visitantes tirem fotos e leiam as placas para saber curiosidades sobre eles [como estávamos meio sem tempo e ainda direto estava chuviscando nos focamos mais em apenas tirar as fotos do local].















O lugar é bem pequeno e simples, mas pra quem já estava totalmente imerso no clima da cidade como nós virou um passeio que chegou a ser bem legalzinho.







Aqui dei uma bobeira muito grande e com isso quase que perdemos boa parte das fotos tiradas no sábado. Mesmo sabendo que a câmera deu problema na parte da manhã estava tirando as fotos do Morro do Elefante usando a minha câmera fotográfica, que quando estávamos quase na saída parou de vez e não voltou a funcionar mais, e ficava com o erro "esse cartão não pode ser lido". Fiquei meio transtornado na hora mas preferi pensar em uma solução pra isso depois e com isso continuamos nosso passeio pelo morro do elefante.

O Elefante do Morro do Elefante

Nosso passeio pelo Parque dos Elefantes foi bem rápido, demorando menos de meia hora, e ao sair dali vimos a escultura principal do Morro do Elefante.


O Morro do Elefante está a 1.800 metros de altitude do cume do elefante [que era chamado assim por conta de seu formato parecido com o de um elefante, que não pode ser mais visto por conta da enorme quantidade de edifícios erguidos sobre o morro]. Pra quem já conhece a cidade vale a pena saber que esse é apenas um dos muitos circuitos turísticos de Campos do Jordão.

Além dele temos ainda o Circuito Turístico Pedra do Baú, o Circuito Turístico Gavião Gonzaga, o Circuito Turístico Itapeva, do Horto Floresta, do Alto da Boa Vista, do Imbiri e o Circuito Turístico Água Santa.


Outra história que contam sobre esse elefante é a seguinte: Se uma pessoa encostar na tromba do elefante irá se casar, se encostar na cauda dele irá se separar e se tocar em sua barriga irá engravidar. Será esse um sinal?

Daqui seguimos para o Mirante do Morro do Elefante, que também estava bem pertinho.


Clique no Botão abaixo para ver a próxima parte do relato:

Clicar: [PARTE 09]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo