Menu Principal

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Intercâmbio no Uruguai [05/02 a 04/03/17] - Parte 1

Depois de muito tempo e esforço finalmente tive a oportunidade de conhecer um novo país.


E fiquei por 1 mês em Montevideo, no Uruguai, fazendo um intercâmbio de espanhol. Então, veja como foi o passo-a-passo dessa minha aventura tão interessante, começando, claro, por essa 1ª parte, que mostra como foi toda a minha jornada para sair do Brasil e chegar no Uruguai.


Para que o conteúdo não fique muito massivo [já que a viagem foi beeeeem longa] estarei dividindo ele em várias pequenas partes, e pra quem tem pouco tempo estarei deixando algumas dicas de roteiro bem especiais pra quem deseja visitar esse país tão interessante.


Obs.: Assim que eu liberar o link estarei colocando as Dicas de Roteiro dessa viagem.

Clique AQUI ou na imagem abaixo para acessar o índice dessa viagem:


Também estou fazendo um guia para ajudar as pessoas a aprenderem e aprimorarem o idioma espanhol, se esse for o seu caso, clique no botão abaixo:


Dito o que precisava, vamos começar!

Antes da Viagem

É claro que antes de viajar houve todo um preparo, como os meses e meses que gastei para juntar o dinheiro do intercâmbio, muitas viagens a trabalho, bastante economia que fiz no dia-a-dia e muitas e muitas aulas do CACS [o Curso de Espanhol que faço dentro da UFMG, que por sinal tem uma qualidade excelente e ótimos professores]. Nisso tudo foram quase 2 anos, mas em 05/02/2017 finalmente chegaria o dia que eu conheceria outro país: O Uruguai!

Mas para começar preciso voltar 1 dia na história, para assim contar como foi o passo-a-das preparações que antecederam a minha viagem!

Dia 0 - Sábado [04/02]

Eu havia fechado tanto o pacote do intercâmbio quanto as passagens de avião com a CVC do Shopping Itaú e como tive uma semana bem pesada no serviço e ainda por cima tinha esquecido uma chave importante que levei pra casa sem querer, aproveitei pra pegar uma carona de moto com um de meus irmãos e segui com ele até meu trabalho.

Lá imprimi alguns documentos que faltavam e também algumas orientações da Academia Uruguay [se pronuncia: Acadêmia Uruguai], escrevi algumas anotações para a minha chefia e fui com ele até o Shopping Itaú pegar os últimos documentos que ainda faltavam.


Com isso feito, voltamos para minha casa e recebi minha noiva que já estava lá, almoçamos e fomos novamente [dessa vez de ônibus] para o Itaú Power Shopping para comprar um sapato.

Depois de uma boa procura e de antes comer um sorvete com churros [esse dia as opções de compra para tênis não estavam tão boas] comprei um calçado, que não estava muito bom e acabei levando uma palmilha especial também que tive que usar por cima do tênis [daquelas gelatinosas], mas ainda assim não curti muito meu calçado.



Pegamos o ônibus novamente e voltamos para minha casa. Minha família estava bem agitada e empolgada porque ninguém ainda tinha feito uma viagem tão longa assim para outro país em minha família. O Nando [o mesmo que me deu carona de moto] já chegou a ir até esse país em uma super viagem que ele fez, mas ficou por lá apenas por poucos dias.

Meu pai perguntou muitas coisas sobre a família e ali no papel que eu tinha da CVC vimos que eu estaria num apartamento em que moravam três pessoas: O Alvaro [65 anos], a Estela [64 anos] e a Fernanda [26 anos], uma das filhas do casal. No papel ainda dizia que eles tinham outros três filhos, mas que moravam em outros lugares.

Foto que meu pai tirou do Google Street View do possível lugar que eu estaria hospedado.
Mais à noite ainda aproveitamos para comer um excelente churrasco à brasileira! A Luciana também fez questão de tirar uma foto comigo e me entregar uma de nós dois juntos como lembrança e ainda deixar um recado bem bonito para que eu sempre me lembrasse dela enquanto estivesse fora.




Levei a Lu para o ponto de ônibus dela, me despedi e voltei pra minha casa, dei a última arrumada que precisava na minha bagagem, e pronto, só restava esperar a hora passar, já que eu deveria sair às 1:50h da manhã para ir ao aeroporto.



Dia 1 - Domingo [05/02]

Preferi não dormir porque eu tinha combinado com o Felipe da Rumo Certo para me levar de carro até o aeroporto e como já passava da meia noite, faltavam menos de 2 horas para que ele me buscasse. Ele chegou poucos minutos depois das 1:50h, ali despedi do meu pai e da minha mãe, dei o último abraço do mês nela e partimos rumo ao aeroporto de Confins.





Conversei um bocadinho com o Felipe durante o caminho e chegamos no aeroporto às 3:30h, me despedi dele e fui direto para a fila do Check-in da TAM.


Quando cheguei a fila já estava bem cheia, e em pouco tempo chegaram ainda mais pessoas que estavam atrás de mim e ela ficou realmente enorme, mas os atendentes ainda não tinha começado a pesar as bagagens.

Depois que chegou um funcionário ele puxou da fila todos que iam pra Porto Seguro [na Bahia] com a CVC e só com isso boa parte das pessoas que estavam na minha frente foram embora, e rapidamente cheguei no balcão de atendimento.

A moça pediu que eu entregasse algum documento, identidade ou passaporte e assim o fiz, pesaram minhas malas e fui liberado para ir até a ala dos embarques.


Assim que cheguei no aeroporto já estava com vontade de fazer xixi, mas tive que aguentar porque a hora do meu embarque estava muito próxima. Com tudo liberado fui feliz para o banheiro tirar água do joelho! Passei pela parte dos detectores de metal sem problemas e andei bastante na ala dos embarques, só consegui chegar no portão de acesso que estava marcado para meu voo [o Gate 28] às 4:30h.



Eu estava com um bocadinho de sono, mas consegui ir levando e esperei até que desse às 5:05h, então um funcionário já pediu para que as pessoas se ajeitassem na fila, e pouco tempo depois finalmente entrei no avião.





Assim que o avião da TAM decolou pude tirar meu merecido cochilo, que durou muito pouco, mas ainda assim fez alguma diferença, já que antes disso eu estava super cansado! Às 7:00h meu avião pousou no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.




Se eu achava que o Aeroporto de Confins era grande, descobri que o de Guarulhos é realmente enorme, dali fui seguindo os procedimentos e andei bastante até chegar na área da imigração.




Todo o processo para sair do país é bem organizado e tecnológico, os brasileiros devem apenas passar seu passaporte em uma catraca eletrônica que o libera com facilidade se não tiver nenhum problema com a documentação, enquanto que estrangeiros e pessoas com filhos menores de 18 devem entrar em outras filas para serem atendidos pela organização do aeroporto.

Na inspeção da bagagem dessa vez foi constatado que eu levava um desodorante Axe seco em minha mala de mão, e o mesmo foi confiscado porque tinha 150 ml, enquanto só deixavam se fosse até 100 ml de líquido [vai ver esses 50 ml a mais podiam fazer a diferença na hora de se derrubar um avião!].



Após dar uma olhada por auto no painel fui seguindo a orientação das placas, andei realmente bastante para chegar no portão de acesso do meu outro voo. Andei por quase ou mais de meia hora, devido ao gigantesco tamanho do Aeroporto de Guarulhos. Ali esperei até às 9:05h para começarem a chamar, entrei na fila sem problemas, embarquei no avião e parti rumo ao Uruguai.








Aproveitei para lanchar dessa vez, da outra tinha dormido e acabou que eu não consegui lanchar no avião, bebi um copo de água [ia comprar no Aeroporto, mas desisti porque lá estava a R$ 6,00 e achei o preço muito abusivo], e dormi mais um pouco.

De vez em quando acordava, mas rapidamente voltava a dormir, e em menos de duas horas acordei novamente, dessa vez com o piloto instruindo que já iria fazer os procedimentos de pouso do avião, nem deu tempo de tirar a foto da descida, mas vi um deslumbrante paraíso com muitas casas e muito verde, achei realmente lindo.




Assim que descemos fui direto para o ônibus do aeroporto que estava nos esperando, nem tive oportunidade de tirar outras fotos porque estava ventando muito e assim todos seguiram para a área de embarque. Ali tive a oportunidade de ver o primeiro letreiro dizendo "Bem vindos ao Uruguai".



Não deu pra colocar em uma única foto pois o letreiro era bem largo e a fila estava cheia. Após enfrentar a fila uma moça carimbou meu passaporte e segui para pegar a minha mala.

Primeiro país carimbado no meu passaporte.
Aqui fiquei meio perdido, mas fui seguindo para onde as placas informavam saída e no caminho ainda perguntava alguns funcionários do aeroporto, e cheguei novamente onde checam as bagagens. Dessa vez passei sem problemas, peguei minha mala e fui seguindo para a saída.





Perto de lá vi um chofer segurando uma placa escrita "Thiago Pereira", fui para confirmar se não tinham errado alguma coisa no meu nome, mas era realmente outra pessoa, e perto dele vi outro segurando uma com o nome "Martins Rocha".

Conversei com o chofer, mostrei alguns documentos e percebemos que era eu mesmo que ele deveria que buscar! Então fomos para o estacionamento, guardamos minha bagagem no porta-malas do carro e seguimos até a Casa da Família em que eu ficaria hospedado.

Demoramos pouco mais de meia hora para chegar ao meu destino final, e durante o percurso fui conversando com o motorista da CVC. Ele me disse que eles tinham muito trabalho pois sempre ele fazia o translado para as pessoas, também me contou sobre algumas coisas da cidade e ainda conversamos um pouco sobre a corrupção do Brasil. 












E finalmente, depois de tanta luta, cheguei ao meu destino, a casa de família que ficaria hospedado em Montevideo, no Uruguai.


Clique AQUI ou na imagem abaixo para acessar a próxima parte do relato:



Clicar: [PARTE 2]

2 comentários:

  1. É isso aí Thiago, uma verdadeira aventura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim. Essa viagem está servindo pra eu aprender como se vai e se age no exterior. Da próxima vez penso em ir para a Argentina, em Bariloche, e vou levar a Lu junto comigo.

      Excluir

Botão Voltar ao Topo