Menu Principal

terça-feira, 25 de julho de 2017

Intercâmbio no Uruguai [05/02 a 04/03/17] - Parte 9

E depois de um bom tempo sem postar sobre minhas próprias viagens, cá estou eu dando continuidade ao relato do Intercâmbio que fiz ao Uruguai.


A começar estou colocando o término do que fiz na terça-feira. Já minha quarta foi bem problemática, pois passei um verdadeiro perrengue no banco. A quinta-feira começou comum, mas terminou de um jeito bem interessante e inusitado para mim.


Clique AQUI ou na imagem abaixo para acessar o índice dessa viagem:


E agora a continuação do relato...

Dia 10 - Terça [14/02] - Continuação

Como a Kelsy também tinha marcado o mesmo passeio que eu, saímos da casa da família e às 20:00h chegamos na Academia, onde nos juntamos as outras pessoas que também estavam aguardando para realizar o mesmo passeio que a gente.

Quando a professora chegou andamos até uma parada de ônibus próxima dali e rapidamente seguimos até a área onde estava o letreiro da cidade, em que aconteceria um conserto a céu aberto da Orquestra Filarmônica de Montevideo.




Ali assistimos a todo o conserto, que durou pouco mais de 1 hora e foi muito interessante.



Em todo o momento eles faziam uma mistura de luzes bem interessante sobre o palco, então tudo brilhava e ficava colorido. Ouça agora algumas das músicas que ouvimos durante esse espetáculo.

Vídeo 01


Vídeo 02


Vídeo 03


E pra fechar, uma última música:

Vídeo 04


Quando terminou nos despedimos do pessoal, fomos até um ponto próximo dali e rapidamente já estávamos de volta as proximidades da casa de família. Só dei uma parada para comprar alguns cereais e chocolates porque não tinha comido nada ainda.

Ao chegar me despedi da Kelsy, comi minhas coisas e fui dormir, já que já eram 23:30h e no outro dia teríamos classes novamente.



Dia finalizado!

Dia 11 - Quarta [15/02]

Acordei mais ou menos no mesmo horário dos outros dias, tomei meu café da manhã e parti para mais uma aula na Academia.


Dessa vez os temas apresentados envolveram um bocadinho de trava línguas e mais algumas conjugações da língua espanhola.





Como estava sem nenhum biscoito fui até a Mío para comprar algum empanado para lanchar durante o intervalo.



Quando a aula acabou resolvi ir até um Burger King para ver se era muito diferente do que conhecemos aqui no Brasil. Minha ideia era comer rápido e ir embora, mas o estabelecimento estava mega cheio e demorou muito pra chegar a minha vez, sem contar que "errei na escolha" e pedi um hambúrguer minúsculo.

Além disso eles disponibilizaram a opção Papas ou Cebolla y allo como acompanhamento. Escolhi a 2ª por curiosidade e me arrependi disso depois porque não estava gostoso.



Presentinho que vinha junto para as crianças.
Meu mini-hambúrguer que não me agradou muito e seu acompanhamento de cebolas e alho.
Assim que saí resolvi comprar um picolé na banquinha ao lado do estabelecimento pra compensar meu lanche fraco.




Depois de comer segui para o banco Santander, minha pressa era porque eu queria chegar o mais cedo possível para ser atendido pelo pessoal do banco e assim conseguir sacar um dinheiro que precisava. Cheguei próximo das 14:30h, por aqui eles funcionam de 13:00 às 17:00h.



Primeiro fui até a fila de auto-atendimento pra ver se conseguia retirar meu dinheiro direto pela máquina do caixa eletrônico. Como as máquinas daqui são super complicadas, cheias de botões e opções que não estava acostumado, preferi voltar para o banco pra ser atendido por algum atendente.

O problema é que novamente ninguém me explicou nada direito e eu sequer sabia se estava na fila correta, já que os nomes dos atendimentos disponíveis são bem diferentes das do Brasil. Fiquei por um bocado esperando a senha, mas novamente não tive sucesso e como o banco estava realmente abarrotado de gente, preferi voltar e tentar a sorte na máquina mais uma vez.

E após algumas tentativas... Consegui sacar meu dinheiro. Dali voltei até a casa da família, mas faltando uns 30 minutos para as 16:00h é que eu percebi que algo estava errado e me dei conta de uma coisa:



- A máquina tinha comido o meu cartão de crédito!

Fiquei meio desesperado na hora e não sabia ao certo o que fazer, então conversei um pouco com o pessoal da família e resolvi voltar até o banco mais uma vez. Ao conversar com o guarda o mesmo me disse que eu teria de esperar até às 17:00h, horário em que o banco fecha para conseguir recuperar meu cartão.

Nesse meio tempo aproveitei e fui até aquela agência da Plaza Independencia para fechar meu passeio para Colonia del Sacramento no sábado, conversei com o pessoal de lá e dei uma passada num supermercado para comprar algumas coisas para lanchar e voltei novamente para a porta do banco.








Praça próxima do banco.
Mesmo após passar um bocado da hora os guardas que fazem a retirada do dinheiro do caixa-forte para a máquina ainda não tinham chegado, então fiquei ali plantado esperando.

Quando eu já estava até desanimando vi 2 policiais com uma bela e imponente escopeta, tive até um pouco de dificuldade de chegar perto deles, mas expliquei meu problema e eles me atenderam com muita simpatia, mostrei meu passaporte e facilmente um deles mexeu na máquina e retirou meu cartão de crédito que estava preso na máquina para mim.

Ele me explicou direitinho e consegui tirar mais um pouco do dinheiro, mas mais uma vez quase que a máquina come meu cartão novamente. Por sorte o guarda viu e me avisou. Aqui eles chamam isso de tragar, por exemplo: La máquina tragó mi tarjeta [a máquina tragou o meu cartão de crédito]. Isso acontece porque se você espera um pouco e não tira o cartão o mesmo é sugado pelo máquina.

Ao voltar fiquei mexendo no PC o resto do dia, aproveitei para divulgar mais algumas coisas do Blog, assisti mais alguns animes e ainda aproveitei para conversar um pouco com meu pai e minha mãe em uma chamada de vídeo do Whatsapp.

Às 21:00h saí novamente para perto daquele Banco Santander e comi num restaurante da praça ao lado dali.


Pedi um sanduíche italiano e veio algo que mais se parecia com uma pizza quadrada, mas ainda assim ao menos estava gostoso.



Ao sair aproveitei e comi um sorvete também, que dessa vez estava bem simplesinho.






Ao voltar para a casa da família continuei mexendo no PC até que deu a hora de dormir. Dia finalizado! O Míchel tinha chegado da sua viagem ao Ushuaia nesse dia.

Dia 12 - Quinta [16/02]

Ao acordar resolvi comer um cereal com leite para variar um pouco.



Como nos outros dias, fui mais uma vez até a Academia Uruguay e lá tive minhas aulas de 9:30h às 13:30h. Algo que se destacou na aula dessa vez foram os utensílios domésticos, então fizemos joguinhos e fomos tentando decorar tudo no decorrer da aula.



Para facilitar no aprendizado vou colocar alguns dos utensílios aqui:





Também tivemos outras coisas interessantes, como uma revisão sobre os nomes das partes da casa e ainda ouvimos mais alguma música importante para frisarmos melhor no aprendizado do espanhol. Agora os nomes dos cômodos da casa:



Senti um pouco de dificuldade na hora dos utensílios porque esse é certamente o cômodo que sempre eu passo mais longe, mesmo assim a aula foi bem interessante e rendeu um bocadinho.



Como eu tinha me empolgado com as atividades extracurriculares da Academia, acabou que também preenchi meu nome para conhecer o Tablado de Carnaval uruguaio. É lá onde acontecem as famosas murgas do país.

Quando assustei já estava dando a hora de ir embora mais uma vez. Primeiramente tinha pensado em visitar o parlamento, mas preferi deixar isso para outro dia já que a visita guiada nesse período do ano acontecia às 15:00h e eu tinha apenas comido lanches rápidos no dia anterior.

Segui a pé até o La Passiva, mesmo lugar que eu tinha comido o sanduíche na noite anterior e pedi um Entrecost con papas fritas.








O almoço demorou um bocadinho para chegar e nesse meio tempo fiquei observando os pássaros que estavam por todos os lados na parte de fora desse restaurante. E enfim, chegou minha refeição.



Dessa vez não dei sorte, o cozinheiro errou na mão e a comida estava tão sem gosto que mesmo me esforçando para comer tudo não dei conta, deixei alguma coisa no prato e preferi fechar a minha conta e ir embora.

Voltei para a casa da família e fiquei editando no Blog mais um pouco das coisas que eu tinha feito por aqui. Tomei meu banho, cochilei umas meia hora porque estava bem cansado e perto das 19:00h segui a pé até a Academia Uruguay novamente.

Ali me juntei com a professora e mais alguns alunos e fomos até um ponto de ônibus próximo dali, pegamos o bus e seguimos até onde estava o tablado de carnaval.





O tablado do carnaval era basicamente esse lugar completo, que consistia de muitas cadeiras dispostas para os que pagaram um pouco mais, da área aberta [para o resto do público em geral] e ainda contavam com uma estrutura bem completa dos mais diversos tipos de barraquinhas, como de vestuário, doces e balas, salgados em geral e algumas lembrancinhas.





Enquanto o público ia chegando e os atores iam se arrumando no palco aproveitamos para comprar alguma coisa pra comer e achar um lugar com boa vista no meio da grama.





E finalmente começaram os espetáculos, eu que estava esperando uma espécie de desfile como ocorre no Brasil me surpreendi completamente, pois a murga é completamente diferente de qualquer coisa que eu alguma vez já havia imaginado.





A Murga na verdade é um ritmo musical que chegou ao Uruguai como se fosse uma espécie de gênero coral-teatral-musical. Aqui costuma ser interpretada durante o carnaval por um coro com entre 13 e 17 pessoas com o acompanhamento musical de bombo, platillos e redoblante, instrumentos específicos das murgas.

Observe como as apresentações são super diferentes:

Vídeo 01:


Vídeo 02:


Nessas músicas eles improvisam coisas do cotidiano uruguaio e também da política e TV do país, o que torna o entendimento muito mais difícil para quem é estrangeiro como eu, que apesar de entender as palavras, não é capaz de compreender a complexidade do contexto das frases.

A professora que estava com a gente, por exemplo, não parava de rir um minuto enquanto ouvia as apresentações. Isso é algo típico da cultura uruguaia e feito para os próprios uruguaios apreciarem.

Vídeo 03:



Aos poucos ia ficando cada vez mais lotado, ao ponto de quase não dar pra se ver direito mais as áreas livres da grama.




Vídeo 04:




No total chegamos a assistir duas murgas completas, mas o show iria durar muito mais e provavelmente ainda teriam mais uns 2 ou 3 grupos de murgas para se apresentar. Algo bem legal que aconteceu em algum momento foi que o pessoal começou a descer do palco e se misturou entre a plateia enquanto cantava.









No total assistimos a duas murgas completas e fomos embora. Cheguei às 22:40h na casa da família, parando, claro, para comprar ao menos umas 2 barras de cereal para matar a fome.


E agora sim, dia finalizado.



Clique AQUI ou na imagem abaixo para acessar a próxima parte do relato:


Clicar: [PARTE 10]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo