Menu Principal

terça-feira, 25 de julho de 2017

Intercâmbio no Uruguai [05/02 a 04/03/17] - Parte 10

E chegamos a 10ª parte dessa incrível viagem pelo Uruguai.


Nesse dia conheci o Palácio Legislativo do país, onde fiz uma visita guiada com um grupo de brasileiros.

Clique AQUI ou na imagem abaixo para acessar o índice dessa viagem:


E agora a continuação do relato...

Dia 13 - Sexta [17/02]

Da mesma forma que nos outros dias, tomei meu café da manhã [que dessa vez foi um pouco mais simples] e segui para Academia para estudar espanhol por mais um dia.


Dessa vez tivemos como tema o Pretérito Imperfecto, que é utilizado para ações passadas e enfatiza o aspecto da repetição e continuidade no tempo. Como a algum tempo atrás eu fiz um post específico sobre essa matéria, estarei deixando ela disponível aqui para quem desejar entender melhor esse tempo verbal do espanhol.

Para isso clique na imagem abaixo ou AQUI.



A aula prosseguiu normalmente e no intervalo o pessoal tirou uma foto muito legal, que é claro eu não poderia esquecer de postar aqui:


Nessa foto estavam todos os brasileiros que entraram na minha turma, tanto os que continuaram quanto os que mudaram para outras turmas depois e no meio do bolo ainda tinha um australiano super gente fina e uma alemã bem simpática que estavam estudando por aqui nos módulos mais avançados.

Dessa vez preferi lanchar fora da academia e pedi uma espécie de empanado muito gostoso. Lanchei num banco da praça perto da gente.


Ao sair da escola resolvi comer num restaurante que estava dentro de uma galeria logo ao lado da Academia. Nos fundos dali ainda havia uma agência de turismo.

Aqui está a Academia Uruguay.
Logo do lado está a Galeria onde eu almocei nesse dia.


Resolvi ir nesse lugar porque um dos meus colegas tinha me avisado que ele comeu aqui, gostou e achou super barato. Pedi um prato simples e também achei gostoso. Aproveitei e ainda pedi uma sobremesa, Helado de limón, uma espécie de mousse de limão.



Esse certamente foi um dos pratos mais baratos que eu comi por aqui, apenas 195 pesos, sendo que dei mais 100 de propina [gorjeta] para a garçonete. Dessa vez não voltei para a casa da família porque queria conhecer o Palácio Legislativo. Ainda dei sorte e consegui no caminho o Souvenir de Punta Del Este que eu tanto desejava.

Então peguei um ônibus, pedi ajuda para o motorista [que foi super educado e me guiou direitinho] e de alguma forma pouco tempo depois, aproximadamente às 15:00h cheguei ao Parlamento do Uruguai.



Entrei no prédio e me inscrevi para uma visita guiada em português mesmo, já que as em espanhol aconteceram antes do horário que eu tinha chegado. A guia era uma moça uruguaia que possuía um português perfeito, praticamente sem sotaque.

Primeiramente fui até um enorme salão onde o grupo estava se reunindo, esse lugar se chama Salón de los Perdidos e é cheio de arte incrustada quase que eu todos os cantos.



O que mais se destacou foram os dois vitrais superiores e as pinturas em cada um dos dois lados do teto.





Outra coisa que chamou a atenção foram os guardas imóveis de fardas bem coloridas guardando algumas das portas do Palácio.


Assim que todo mundo se reuniu seguimos para a área do elevador e fomos direto para a Câmara dos Senadores.



Essa foi a primeira visão que tivemos desse local:




Aqui a guia nos explicou um pouco mais de como as coisas funcionam e o pessoal ficou muito animado ao perguntar sobre as diferenças das atitudes tomadas pelo governo aqui e de nosso país.

Observando de um ângulo melhor, essa é a visão que temos:


Outro detalhe interessante era a arte do vitral no teto.


Dali seguimos para a parte superior do Salão dos Perdidos [ou em bom espanhol, Salón de los Perdidos].



Aqui a guia nos orientou a olhar novamente para o piso porque de cima era possível reparar melhor nos detalhes da arte utilizada sobre eles.


Seguimos então para a biblioteca do Palácio Legislativo.



A área era bem ampla realmente lotada de livros, o que chamou muito a nossa atenção foi a Declaração da Independência do país, que foi realizada em 1.825 e a 1ª constituição do país, elaborada em 1830, que estavam expostas num vitral da biblioteca. Esses são os exemplares originais. 



Exemplares originais da Declaração de Independência e da 1ª constituição do país.
O guarda daqui era tão imóvel que cheguei até a ficar na dúvida se era uma realmente uma pessoa ou uma estátua de cera, mas ao perguntar pra ele se podia tirar uma foto e vê-lo confirmando com a cabeça que sim percebi que era uma pessoa de verdade mesmo.



E seguimos para a última área do passeio, a Câmara dos Deputados. Esse era mais um salão ao estilo do outro, porém um pouco mais simples e com cadeiras de madeira ao invés de estofadas.



Essa é a visão geral que temos quando tiramos uma foto de um bom ângulo:


O que mais se destacou aqui foi o vitral do teto:


E claro, a enorme pintura da independência que estava na parede dos fundos:


Observando com um zoom maior:


O passeio foi bem rápido e às 15:40h já tinha acabado. Algo bem interessante que aconteceu é que dei uma passada no banheiro antes de ir embora e no caminho vi dezenas de guardas que estavam fazendo a ronda, mas não tirei foto porque eles estavam todos armados com uma espécie de carabina e não quis chamar a atenção nessa hora.

Dali fui para a parte de fora para procurar um ponto de ônibus e ainda conversei um pouco com duas brasileiras que fizeram o passeio no mesmo grupo que eu. Mas antes de ir de vez aproveitei para tirar a última foto desse lugar tão interessante.


Ao descer próximo da Plaza Independencia passei num supermercado para comprar biscochos, mas descobri que isso era uma espécie de rosquinha para os uruguaios. O que nós entendemos como biscoitos para eles se chama galletitas [pronuncia-se gadjetitas].


Após lanchar na casa da família e descansar um pouco voltei para a agência para ver se fechava o passeio do domingo, mas estava apenas o marido da dona e mesmo após conversar um pouco ele não conseguiu me atender, já que não sabia das condições de pagamento que eu tinha combinado com ela, por isso preferi ir embora sem marcar o passeio para Minas nesse dia.

Foto da parte de dentro da Agência de Turismo próxima da Plaza Independencia.
Às 20:00h saí mais uma vez para fazer meu lanche noturno e pedi um Pancho, que achei que seria equivalente ao nosso cachorro-quente.



Ledo engando, na verdade o Pancho é bem diferente porque os uruguaios conseguem montar os pratos de forma completamente estranhas aos nossos olhos. Estava até gostoso, mas era muito pequenino e acabou bem rápido nas minhas mãos.


Voltei mais uma vez para a casa da família e fiquei mexendo no meu laptop pelo resto da noite, aproveitei ainda para tirar uma boa foto do Souvenir adquirido.



Dia finalizado, no próximo eu conheceria mais uma cidade uruguaia: Colonia del Sacramento.



Clique AQUI ou na imagem abaixo para acessar a próxima parte do relato:


Clicar: [PARTE 11]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo