Menu Principal

terça-feira, 11 de julho de 2017

Viajando pelo Sistema Solar: Sol

Prepare os cintos para aproveitar a nossa viagem imaginária pelo Sistema Solar.


Nesse primeiro post aprofundaremos nossos conhecimentos sobre o Sol, o astro que garante o equilíbrio e a vida para nós no nosso dia-a-dia sem nunca falhar.

Agora que estamos bem acomodados em nossa nave espacial, chegou a hora de conhecer nossa Estrela mais de perto. Esse será o ponto de partida da nossa viagem.

Nossa Nave
- Sol -

Distância do Terra: 149.597.871 km.

O Sol, nossa fonte de luz e vida é a estrela mais próxima de nós e também a que melhor conhecemos. É basicamente uma enorme esfera de gás incandescente, em cujo núcleo acontece a geração de energia através de reações termo-nucleares.

É considerado uma estrela anã, bastante comum no universo. Em torno dela gravitam oito planetas, três planetas anões, 1600 asteroides, 138 satélites e um grande número de cometas. Sua massa é 333.000 vezes a da Terra e o seu voume é de 1,41x1027m³ (em outras palavras, 1.400.00 vezes a da Terra). Está a cerca de 149.597.871 km de distância da Terra (ou 1 U.A - Unidade Astronômica). Sua gravidade relativa na superfície é de 28G. A luz emitida pelo Sol demora cerca de 8 minutos para chegar à Terra. Presume-se que o sol tenha ao menos 5 bilhões de anos de idade.

Para conhecermos um pouco mais sobre o Sol, assista ao vídeo abaixo:


Do ponto de vista da composição, o Sol contém Hélio, Hidrogênio, Ferro, Oxigênio, Silício, Carbono, Nitrogênio, Enxofre e outros elementos químicos. As temperaturas do Sol variam, mas é fato que atingem em édia até 5.505ºC na região superficial. Já no próprio núcleo, chega a apresentar 16.000.000ºC.

Na verdade as estrelas não possuem superfícies, pois são corpos gasosos, a camada que vemos no sol através de fotografias, é na verdade é uma camada bastante fina conhecida como fotosfera, são os átomos dessa camada que irradiam a radiação solar que recebemos, existem camadas acima da fotosfera, mas elas são muito rarefeitas, por isso são quase imperceptíveis. Mas mesmo assim aqui a chamaremos de superfície devido a semelhança com uma superfície tradicional.

Ainda observando a superfície do Sol, podemos verificar dois fenômenos interessantes: As Manchas Solares e as Erupções Solares.

Manchas Solares
Erupção Solar
As Manchas Solares são regiões na fotosfera ("superfície" do Sol) que vemos com uma aparência escura: manchas escuras avermelhadas na fotosfera. São assim porque a temperatura delas é menor que a temperatura restante da fotosfera, girando em torno de 4.000ºC (enquanto no restante da superfície chega a até 5.505ºC).

Se quiser se aprofundar seu conhecimento sobre as manchar solares, clique no botão abaixo:

Já as erupções solares são explosões na superfície do Sol causadas por mudanças repentinas no seu campo magnético. A atividade na superfície solar pode causar altos níveis de radiação no espaço sideral. Esta radiação pode vir como partículas (plasma) ou radiação eletromagnética (luz). O Sol libera porções de energia eletromagnética quando uma gigantesca quantidade de energia armazenada em campos magnéticos, acima das manchas solares, explode, produzindo um forte pulso de radiação que abrange espectro eletromagnético, desde as ondas de rádio até os raios X e raios gama.

Os gases emergem da superfície e são lançados na coroa solar, onde atingem temperaturas de mais de 1,5 milhão de graus centígrados, formando arcos chamados anéis coronais, enormes bolhas de gases ionizados com até 10 bilhões de toneladas. Depois, esfriam e voltam a se chocar com o Sol a uma velocidade próxima a 100 quilômetros por segundo.

As ejeções de massa coronal, que são partículas de altas energias, lançadas no espaço interplanetário podem transportar 10 bilhões de toneladas de gás eletrizado e superam a velocidades de um milhão de quilômetros por hora. Quando atingem a Terra, a magnetosfera do planeta desvia a maior parte da radiação, mas uma parte pode chegar à atmosfera superior, causando as tempestades geomagnéticas.

As erupções solares são classificadas de acordo com o seu brilho em raios X no intervalo de comprimento de onda que vai de 1 a 8 Ångstroms.

Veja abaixo, um exemplo de erupção solar:


Fontes Pesquisadas:

Sol
http://astro.if.ufrgs.br/esol/esol.htm
http://www.astronomia.web.st/index.php?aid=50
http://www.colegioweb.com.br/ciencias/estrutura-e-propriedades-sol.html
http://www.astronomia.web.st/index.php?aid=50

https://pt.wikipedia.org/wiki/Erup%C3%A7%C3%A3o_solar


Agora que conhecemos bastante sobre o Sol e pudemos observar belas imagens, chegou a hora de viajar mais um pouco e chegar em nosso primeiro planeta, Mercúrio:


Para isto, clique na imagem acima ou AQUI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo